Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Utentes do Corredor de Tete sensibilizados a conduzir com segurança

Um trabalho de sensibilização dos utentes dos corredores rodoviários que ligam a província de Tete, centro de Moçambique, ao Zimbabwe, Malawi e Zâmbia, sobre a necessidade de uma condução em segurança, iniciase a 01 de Outubro próximo, a cargo da empresa Estradas do Zambeze.

O trabalho será feito ao abrigo do contrato de concessão, recentemente assinado entre o Governo de Moçambique e a empresa Estradas do Zambeze, e visa contribuir para a redução da sinistralidade ao longo dos troços concessionados, numa extensão de cerca de 700 quilómetros de estradas.

O chefe de Operações e Manutenção da empresa Estradas do Zambeze, Luís Ferreira, disse que o trabalho vai ser feito através de viaturas da operadora, que vão circular em todos os troços concessionados, onde os níveis de sinistralidade têm sido elevados. Ferreira esclareceu que as viaturas da empresa estão preparadas para a qualquer altura poderem, eventualmente, contribuir na resolução de pequenos acidentes e avarias que ocorrerem nas estradas concessionadas.

“Em simultâneo, vamos iniciar uma campanha de segurança rodoviária em toda a concessão, onde vamos procurar sensibilizar todos os utentes sobre a necessidade de conduzirem em segurança”, frisou aquele responsável.

Ferreira afirmou ainda que a empresa Estradas do Zambeze “vai, sempre que necessário, procurar resolver as pequenas incidências que ocorrerem nas rodovias. Naturalmente que nós não prestamos socorro ao nível da saúde, por ser uma actividade que é das entidades sanitárias e da polícia. Fundamentalmente, a nossa obrigatoriedade é procurar, rapidamente, comunicar à polícia essas incidências e sinalizar os acidentes”.

As viaturas da empresa vão estar equipadas com meios mecânicos para, em situação de aflição, procurar resolver avarias ao longo de todo o trajecto.

O eixo principal da concessão é a partir do posto administrativo de Kuchamano, na fronteira com o Zimbabwe, passando pelo distrito de Changara até Zóbuè, na fronteira com o Malawi. Existem depois dois eixos secundários, nomeadamente, de Mussacama-Calómuè, no distrito de Angónia e Tete-Cassakatiza, na fronteira com a Zâmbia.

“Eu ficarei feliz se nós viermos, claramente, contribuir para a redução da sinistralidade nestes troços. Para nós, esta vai ser, com toda a certeza, a maior alegria e a maior vitória”, realçou o chefe de Operações e Manutenção da empresa Estradas do Zambeze. Dados oficiais indicam que, em média, circulam nas estradas concessionadas cerca de três mil viaturas entre nacionais e estrangeiras, transportando carga diversa e passageiros.

Refira-se que o Governo de Moçambique concessionou à empresa Estradas do Zambeze, a construção e exploração da nova ponte sobre o rio Zambeze, em Tete, um empreendimento orçado em mais de 100 milhões de dólares norte-americanos.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!