Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Projectos Arco-Norte e Âncora vão trazer turismo de qualidade às zonas abrangidas

O director nacional do Turismo, Martinho Muatxiua, disse esperar que os projectos Arco-Norte e Âncora em desenvolvimento em Nampula, Cabo Delgado e Niassa, norte de Moçambique, e em Inhambane, sul, transforme aquelas províncias em importantes pólos de desenvolvimento de turismo de alta qualidade.

“O novo paradigma do desenvolvimento do turismo está relacionado com a concepção de projectos turísticos de alta qualidade, e os empreendimentos em implementação naquelas províncias, farão com que a zona norte altere, completamente, o seu paradigma de desenvolvimento”, realçou Muatxiua. Falando à AIM, em Maputo.

Segundo aquele responsável, o desenvolvimento do turismo de alta qualidade não beneficiará apenas as regiões abrangidas pelos projectos, mas também o país inteiro, que “passará a contar com grandes pólos turísticos”.

“Teremos pólos norte e sul de desenvolvimento, que terão cruzamento a nível da zona centro do país, o que fará com que tenhamos, integralmente, todo o país desenvolvido do ponto de vista turístico”, explicou aquele responsável.

Muatxiua, que falava a propósito do Dia Mundial do Turismo, assinalado no dia 27 de Setembro, acrescentou que as sete zonas declaradas turísticas viradas para o desenvolvimento nas regiões norte e sul do país, vão contribuir também para o surgimento de turismo de alta qualidade.

“A outra concepção que foi feita diz respeito à declaração de zonas de interesse turístico, reconhecidas, fundamentalmente, pelo seu valor natural, pelas suas potencialidades e pelos recursos naturais nelas existentes. Esta nova abordagem vai-nos conduzir a uma maior competitividade sobretudo a nível internacional”, sublinhou o director nacional do turismo.

Para Martinho Muatxiua, o turismo é uma das principais fontes de receitas para o país. Nos primeiros seis meses deste ano (2011) o ministério do Turismo aprovou projectos de investimento no sector turístico avaliados em cerca de 178 milhões de dólares norte-americanos.

Refira-se que o projecto Arco Norte, financiado pela agência norte-americana de apoio ao desenvolvimento internacional-USAID, tem estado a providenciar assitência técnica a operadores turísticos das províncias nortenhas de Nampula, Niassa e Cabo Delgado, no desenho de projectos turísticos e na análise e avaliação de investimentos, para além de apoiá-los no acesso a fundos para investimento, melhoria dos seus estabelecimentos e serviços, entre outros objectivos.

As autoridades moçambicanas dizem que os projectos de investimento em turismo propostos através dos chamados “projectos âncora” poderão atrair para Moçambique 1,2 mil milhões de dólares.

Os referidos projectos têm como objectivo estimular o crescimento e investimento no sector do turismo, nomeadamente, no distrito de Inhassoro, na província de Inhambane, sul de Moçambique, na Reserva de Gilé, na província central da Zambézia), bem como na província de Nampula (norte) e Reserva Especial de Maputo, na província de Maputo (sul).

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!