Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

“Samurais” deram tudo o que tinham e trazem um honroso 4º lugar do Afrobasket

“Samurais” deram tudo o que tinham e trazem um honroso 4º lugar do Afrobasket

Foto da FIBADiz o povo que “Quem dá o que tem, a mais não é obrigado”, foi o que fez em Bamako a nossa selecção feminina de basquetebol com parcos apoios e quase sem preparação chegou às meias-finais do Campeonato Africano após vingar-se de Angola, e contra todas expectativas deixou-nos a sonhar com o regresso ao Mundial. Nazir Salé as suas “Samurais” trazem do Mali um honroso 4º lugar que é mais uma “chapada” de luva branca ao Governo e privados que continuam a dar primazia ao futebol, que diga-se só nos tem envergonhado!

Foto da FIBAApós a vingança a Angola, nos quartos-de-final, e da derrota diante do Senegal, nas meias-finais, a nossa selecção jogou neste domingo contra as anfitriãs pela 3º posição no pódio e pelo lugar na disputa do apuramento para o Mundial de Espanha.

O Mali adiantou-se no marcador e abriu uma vantagem de 9 pontos antes de Moçambique entrar no jogo. Visivelmente cansadas as “Samurais” tentavam dar luta mas perderam o 1º período por 12 a 21 pontos.

Nazir Salé deve ter recordado as suas pupilas que o último lugar do pódio não era um prémio de consolação e no 2º período Moçambique acelerou e Tamara Seda voltou a mostrar que temos selecção para o futuro reduzindo a desvantagem para 2 pontos antes do intervalo.

Mas no 3º período as donas da casa, com imenso apoio do seu público, reassumiram o comando da partida diante do cinco base das “Samurais” sem forças para dar réplica e sem alternativas no banco de suplentes.

Foto da FIBANo derradeiro período o domínio das malianas continuou até a vitória final por 52 a 75 pontos.

Ficou evidente que as jovens promessas do nosso basquetebol precisam de mais competição a nível nacional, o campeonato feminino é um torneio pouco competitivo, e notou-se a falta da preparação da selecção.

Devido a falta de dinheiro para uma das modalidades que mais alegrias tem dado aos moçambicanos desde sempre Nazir Salé só assumiu o comando técnico em meados de Junho e não teve oportunidade para um estágio sério e competições de preparação fora do país.

@Verdade sabe que o custo do amigável, logística com internacionais e do jogo, que os “Mambas” vão realizar no próximo fim-de-semana, a título comparativo, chegaria para preparar melhor e mais condignamente as “Samurais”.

Facebook
Twitter
LinkedIn
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!