Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Polpa de ananás orgânico de Muxúnguè na Europa e África do Sul

Oito contentores contendo polpa de ananás orgânico já estão prontos para seguir viagem para mercados da Dinamarca, Holanda e Alemanha e ainda para a África do Sul, no âmbito dos esforços tendentes à diversificação e adição de valor de produtos não tradicionais nas exportações moçambicanas.

A exportação deste produto e seus derivados para Europa e África do Sul surge na sequência da entrega formal da certificação orgânica emitida pela companhia alemã BCSOEKO-GARANTIE GmbH e representa o culminar “de mais uma etapa com vista à remoção de barreiras de natureza qualitativa que afectam a maioria dos produtos moçambicanos de exportação”, segundo João Macaringue, Presidente do Conselho de Administração (PCA) do Instituto para Promoção das Exportações (IPEX).

Macaringue realçou, falando na cerimónia da entrega do referido certificado, que, a partir daquela altura, “o ananás de Muxúnguè e seus derivados já podem ser expostos nas prateleiras dos hiper e supermercados mundiais”.

Associações elegíveis Entretanto, o vice-ministro da Indústria e Comércio, Kenneth Marizane, revelou na mesma oportunidade que quatro das sete associações de produtores do ananás oficialmente identificadas para o projecto-piloto do IPEX foram elegíveis à certificação “e estamos a realizar todo um trabalho no sentido de aumentarmos este número”.

Marizane considerou a certificação internacional do ananás de Muxúnguè como “marco histórico no processo de desenvolvimento socioeconómico da região e dos produtores locais”, por ser um valioso instrumento e importante plataforma de acesso aos mercados internacionais mais exigentes.

“Há que preservar esta conquista, garantindo a manutenção desta certificação”, instou aquele governante, falando ainda durante a cerimónia de entrega do certificado BCS-OEKO-GARANTIE GmbH ao ananás produzido em Muxúnguè.

Refira-se, entretanto, que são elegíveis à certificação internacional as associações dos produtores de ananás orgânico de Tchungamoio, Amur, Acuzuana e Tanuaeja, do posto administrativo de Muxúnguè, em Sofala.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!