Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

MDM não vai coligado às próximas eleições

O porta-voz do Movimento Democrático de Moçambique (MDM), Geraldo carvalho, disse que a sua formação política tem um mandato para concorrer nas próximas eleições sem se coligar a outros partidos. Referiu que não vai usar este mandato para salvar os partidos que, por sí sós, deixaram-se afundar, caíndo no descrédito.

Falando a jornalistas na capital moçambicana, disse que nas próximas eleições, o MDM não vai se coligar a nenhum partido político sem perfil. Entretanto, Carvalho, comentando as declarações do Secretário para Mobilização e propaganda do partido FRELIMO, Edson Macuácua, segundo as quais o MDM fazia uma política emocional, disse que o portavoz da FRELIMO está com medo do MDM. “No lugar de se ocupar com a organização do seu partido, preocupa-se com os assuntos dos outros, tanto mais que, o seu presidente copiou o slogan do MDM, Moçambique melhor para todos.

Segundo Carvalho, o slogan usado pelo Presidente da FRELIMO durante a abertura da Sétima Conferência de Quadros, “ Moçambique melhor para todos”, contradiz as políticas defendidas pela Frelimo que são de exclusão, onde para ocupar um posto público é necessário ser membro daquela formação política, sem se olhar para as capacidades técnicas e profissionais.

De acordo com Carvalho, “ uma política inclusiva e para todos os moçambicanos foi implementado na Cidade da Beira durante a governação de Deviz Simango, onde todas as pessoas independentemente das suas cores partidárias, ocupam os seus postos na gestão do Conselho Administrativo daquela autarquia.

Foi a construção da casa Mortuária, na qual todos têm acesso sem olhar para as proveniências. Foi com as políticas inclusivas e viradas para o povo que a Beira deixou de ser num dos principais focos de cólera com o melhoramento das condições de saneamento público”.

Um partido político é composto por pessoas e a sua actuação não depende apenas da sua legalização, disse Carvalho, tendo acrescentado que, o MDM é reconhecido a nível nacional e está a se instalar em todo o território nacional. Aliás, segundo Carvalho, o MDM já realizou a sua Assembleia Constitutiva, e em breve vai realizar, em Nampula, a sua Conferência Nacional onde vão ser escolhidos os candidatos para os diversos órgãos nas próximas eleições.

Deviz Simango, Presidente do MDM, está a trabalhar nos distritos da província de Sofala e vai à Niassa e Zambézia e outras partes do País, afirmou Carvalho, tendo acrescentado que o seu partido é de âmbito nacional por isso vai estar em todo o país. Aliás, nas províncias de Inhambane, Gaza e Maputo, o nível de adesão supera as espectativas iniciais do partido.

Entretanto, Carvalho denunciou campanhas de intimidação dos seus membros nos distritos, salientando que “em Caia, o representante do MDM foi algemado e espancado a mando do Administrador local, pelo facto de estar a recrutar membros sem perturbar a ordem pública. Em Angónia, o representante do MDM foi expulso do seu posto de trabalho que ocupava por ser do MDM. Em Marínguè, Elide Papulete, foi detido sem justa causa”, frisou.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Related Posts

error: Content is protected !!