Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Lançado projecto de construção de Hospital Generalista em Nampula

O Gabinete da Primeira-dama e a FBT IC, uma empresa suíça especializada na construção de edifícios hospitalares e da educação, lançaram, Sexta-feira (11), em Maputo, um projecto para a construção de um hospital generalista na província de Nampula, norte de Moçambique.

O empreendimento, cujas obras deverão arrancar em Junho, deverá ficar concluído em Dezembro de 2014. Segundo o ministro da saúde, Alexandre Manguele, este projecto enquadra-se nos esforços do Governo na busca de soluções para melhorar as condições de saúde dos cidadãos.

João Silva, director geral da FBT IC, disse que o hospital será gerido pelo sector privado e contará com 50 consultórios médicos, 33 especialidades de doenças.

O novo hospital comporta 45 quartos duplos e 67 individuais, perfazendo uma capacidade para internar 157 pacientes.

Na ocasião, Manguele disse que a construção deste edifício hospitalar, que vai prestar serviços de várias especialidades de saúde usando elevada tecnologia, irá ajudar a resolver muitos problemas de saúde que, vezes sem conta, levam os moçambicanos a procurarem tratamento no estrangeiro.

“Com este hospital deixaremos de viajar a procura de tratamento e até vamos passar a receber pacientes de fora em particular da região”, disse Manguele.

A construção deste hospital, segundo Manguele, traz um desafio na formação e desenvolvimento de novas especialidades médicas que o Governo está a realizar em Moçambique.

Por isso, explicou Manguele, nos últimos dois anos o Ministério da Saúde parou de mandar estudantes finalistas de medicina para as províncias tendo retido cerca de 100 médicos para especialização no Hospital Central de Maputo.

Manguele aproveitou a oportunidade para anunciar que terão início ao longo do corrente ano as obras de construção do Hospital Central de Quelimane, bem como outros hospitais e centros de saúde com capacidade para fazer operações cirúrgicas.

Flávia Cuereneia, directora do Gabinete da Primeira-dama de Moçambique, instituição que participou na identificação de parceiros no âmbito do projecto Instituto Criança Nosso Futuro, disse que este hospital terá uma componente social para atender a população de baixa renda.

“Os médicos moçambicanos vão usar este hospital como centro de formação e especialização”, acrescentou Flávia Cuereneia.

A escolha da província de Nampula para acolher este projecto, segundo a interlocutora, deve-se ao facto de Nampula ser uma das províncias mais populosas do país e ponto de referência na captação de mais investimentos, razão pela qual impõe-se a necessidade de dotá-la com capacidade para responder as necessidades de desenvolvimento.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!