Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Governo reafirma cometimento do desenvolvimento de biocombustiveis

O ministro moçambicano da energia, Salvador Namburete, revelou na terca-feira, em Maputo, que o Governo de Moçambique mantém firme o seu cometimento na promoção e mobilização de recursos necessários, bem como na criação de condições favoráveis para a atracção de investimento para desenvolvimento de biocombustiveis no país.

Namburete fez estes pronunciamentos durante a conferência internacional sobre mercados de bioenergia iniciada hoje, na capital moçambicana, envolvendo países africanos e alguns investidores estrangeiros. Os biocombustiveis constituem uma alternativa aos combustíveis fósseis, cujos preços no mercado internacionais são instáveis, uma situação que muitas vezes tem impacto negativo para a economia dos países importadores. Na ocasião, Namburte referiu que as economias importadoras do petróleo, como Moçambique, teriam registado um crescimento rápido ao longo da década 2000-2010, se o preço do petróleo não tivesse aumentado de forma gravosa.

Por outro lado, aquele ministro defendeu que os esforços dos Governos para conter o aumento dos preços do petróleo ou minimizar o seu impacto negativo não serão eficazes se não incluírem iniciativas visando a diversificação da matriz energética. “Esta situação exige uma solução combinada de utilização de fontes alternativas de energias renováveis e do recurso a tecnologias de baixo custo, o que contribui para que mais cidadãos tenham acesso às fontes de energia reduzindo a dependência do petróleo”, defendeu.

Namburete frisou que Moçambique tem estado a promover o aproveitamento das energias renováveis, como é o caso da produção de biocombustíveis, que para além de serem uma alternativa energética para investimentos à escala industrial, constituem também uma oportunidade de geração de rendimentos, emprego e autoemprego.

“A nossa determinação de avançar com estas iniciativas visando a diversificação da matriz energética resulta igualmente do nosso cometimento nos esforços conjuntos quanto à questão de Segurança e Estabilidade Energética bem como ao fenómeno de aquecimento global que constituem hoje uma preocupação a nível mundial”, referiu. Neste momento estão em curso 26 projectos de biocombustiveis no país, que na sua maioria se encontram numa fase de multiplicação de sementes, prevendo-se a primeira colheita para 2012.

Para o Ministro, Moçambique assume uma posição privilegiada no domínio dos biocombustiveis, a par do potencial considerável e competitividade decorrente das condições agro – ecológicas, localização geográfica, disponibilidade de terra e água assim como mão-de-obra disciplinada e disponibilidade de infra-estruturas portuárias e de armazenagem.

Como forma de explorar estas vantagens e atrair mais investimentos, o Governo aprovou a Estratégia de Energia, a Política de Desenvolvimento das Energias Renováveis e a Política e Estratégia dos Biocombustiveis, instrumentos orientadores que estabelecem os princípios e objectivos no desenvolvimento sustentável dos biocombustiveis. A conferência internacional sobre mercados de bioenergia, que decorre sob o lema “Expandindo a Produção Sustentável da Biologia”, termina na próxima quinta-feira.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!