Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Futsal: Iquebal vencedor do Torneio de Abertura de Maputo

Futsal: Iquebal vencedor do Torneio de Abertura de Maputo

O Grupo Desportivo Iquebal confirmou a sua hegemonia no futsal, a nível da capital do país ao conquistar, no último fim-de-semana, o Torneio de Abertura da Cidade de Maputo. Na derradeira jornada desta competição, os campeões em título derrotaram o Nassela’s por 6 a 2.

Logo nos primeiros instantes do jogo, o conjunto do Iquebal revelou a ambição de conquistar os três pontos de modo a erguer o segundo troféu da presente época, depois de, no ano passado, ter conquistado o Campeonato da Cidade e o “Nacional”.

Os pupilos de Juneid Ibrahimo entraram na mó de cima e obrigaram o adversário a explorar o contra-ataque. Mas apesar desse claro domínio dos donos da casa, o primeiro lance de perigo pertenceu à equipa contrária, volvidos três minutos do arranque do embate. Depois de uma excelente triangulação entre Idelson e Magule, Yuran recebeu a bola e atirou contra o poste esquerdo do guarda-redes Sulumba.

A resposta do Iquebal surgiu dois minutos mais tarde através de uma jogada iniciada por Dino que, depois de fugir à marcação de dois adversários, passou o esférico ao companheiro de equipa, Caló, que naquele instante se encontrava isolado diante do guarda-redes.

Porém, o remate foi parar directamente nas mãos de Omar. Depois disso, o Iquebal empurrou ainda mais o Nassela’s para a sua zona defensiva, tendo facilmente chegado ao golo à passagem do sétimo minuto. Com um passe de ruptura no meio dos defesas contrários, Dino isolou Manucho que se encarregou de colocar a bola no fundo das malhas.

Em vantagem de 1 a 0 no marcador, o Iquebal manteve a mesma postura táctica e intensificou a pressão sobre o adversário, criando mais dificuldades ao Nassela’s que, a dado momento, não conseguia manter a posse de bola por 30 segundos. Contudo, mercê de um erro de colocação dos donos da casa, o conjunto treinado por Aly Hassan esteve perto de restabelecer a igualdade, tendo o remate de Magule passado ao lado dos postes à guarda de Sulumba.

Não marcou o Nassela’s e o Iquebal aproveitou-se disso para ampliar a vantagem, à passagem do 15º minuto. Numa jogada de belíssima criatividade, Kappa conduziu o ataque pelo flanco esquerdo, tabelou com Caló e entregou o esférico a Manucho que, antes de disparar para o fundo das malhas, tirou dois adversários do caminho. Aquele jogador marcou o segundo golo da sua conta pessoal.

A cinco minutos do intervalo, mercê da relativa redução da intensidade de jogo dos donos da casa, os forasteiros entenderam que podiam correr atrás do prejuízo, ainda que recorrendo ao contra-ataque para chegar ao golo. No minuto 17, Sulumba impediu que a bola entrasse na baliza ao defender o pontapé de Igor, depois de um passe longo de Zinraldo.

Porque entendeu Juneid que a sua equipa tinha de ir ao intervalo com uma vantagem confortável, aquele técnico decidiu lançar Caló no jogo e este, diga-se, entrou a “fazer das suas”. Partiu do meio-campo com a bola colada ao pé, passou por todos os adversários e, à entrada da grande área, desferiu um portentoso remate defendido de forma incompleta por Omar, tendo surgido Jacinto, na recarga, a fazer o 3 a 0.

O Nassela’s apavorou o Iquebal na etapa conclusiva

Na segunda metade do confronto, o Nassela’s entrou demolidor e encontrou um Iquebal totalmente distraído. O técnico dos donos da casa pediu aos seus jogadores para que tomassem mais cautela na zona defensiva, devido à audácia dos visitantes, enquanto pensava numa estratégia capaz de recuperar o controlo do jogo.

Neste instantes iniciais, o guarda-redes Sulumba interveio por duas vezes de modo a manter inviolável a sua baliza. Depois de efectuar algumas substituições, a equipa do Iquebal recuperou o domínio do confronto com recurso ao processo defensivo sobre o homem, que mais tarde se transformou em pressão sobre o adversário. O Nassela’s voltou a ter dificuldades em jogar abertamente ao ataque, apesar de ter reduzido a desvantagem no minuto 24, por intermédio de Jonasse, depois de um belo passe de Magule.

Com o golo, os visitantes acreditaram que podiam mudar o rumo dos acontecimentos, sendo que, por isso, decidiram arriscar no jogo ofensivo que deixou desguarnecida a zona defensiva. Ou seja, os jogadores do Nassela’s subiam as linhas e tinham enormes dificuldades em organizar a barreira de protecção do seu guarda-redes. Foi a partir daí que o Iquebal se aproveitou e chegou ao 4 a 1.

Gérson iniciou uma jogada rápida de ataque pelo flanco esquerdo e fez um passe a Vânio que, sem marcação, atirou para o interior da baliza. Motivados com o tento, os donos da casa colocaram todo o seu arsenal no ataque e conseguiram marcar o quinto golo através de uma jogada de bola parada. No minuto 35, a castigar uma falta do guarda-redes Omar, Dino tocou na bola e Caló rematou fortemente para a contagem. No minuto seguinte, o Nassela’s reduziu a desvantagem por intermédio de Ricardo, depois de Magule ter roubado a bola a Dino e a passado para o colega de equipa que se encontrava numa zona privilegiada para anotar o segundo golo.

Depois deste deslize, o Iquebal decidiu pautar pela circulação rápida de bola, o que terá cansado os jogadores do Nassela’s. E, a um minuto do fim, Dino encerrou as contas da partida ao apontar o sexto e último golo da sua equipa. Com este resultado de 6 a 2, o Iquebal conquistou o título da primeira competição oficial de futsal a nível da cidade de Maputo, depois de ser derrotado na Supertaça pela Liga Desportiva Muçulmana.

O semáforo do jogo

Verde: Dino

Mesmo caminhando para o fim da sua carreira, este atleta do Iquebal continua a espalhar o seu perfume pelos palcos do futsal moçambicano. Quanto a nós, Dino foi o melhor jogador – não só desta partida da última jornada – do Torneio de Abertura. Foi a mestria deste jogador que conduziu a equipa do Iquebal à conquista de mais um título, o primeiro do sistema de “todos contra todos”. Ele não marcou muitos golos, mas foi responsável pela construção das jogadas ofensivas e foi bastante participativo na zona defensiva, sobretudo nos momentos decisivos do confronto.

Laranja: Magule

Este jogador não se portou mal na partida. Porém, não esteve bem e a sua indisposição afectou o bom desempenho do Nassela’s, embora tenha sido inevitável a vitória do Iquebal nesta partida. Magule não conseguiu criar espaços para a sua equipa poder impor-se diante de um gigante, sobretudo por não ter sabido evidenciar-se no duelo com Dino. O atleta do Nassela’s não foi capaz de liderar o grupo ao longo dos 40 minutos.

Vermelho: Zinraldo

O capitão do Nassela’s esteve completamente irreconhecível neste jogo que marcou o encerramento do Torneio de Abertura de Futsal da Cidade de Maputo. Não nos lembrámos de algum momento em que esteve assertivo, seja na marcação, seja na desmarcação e até mesmo nos passes. Sem nenhum exagero, Zinraldo atrapalhou a táctica montada por Aly Hassane ao longo dos 40 minutos. Aliás, foi por isso que nos momentos mais tensos deste confronto era convidado a “aquecer” o banco de suplentes.

Goleada de 21 a 2 coloca a Petromoc na segunda posição

À entrada da última jornada, a Petromoc esforçou-se bastante para vencer por uma vantagem de 15 golos, pois, em caso de derrota do Iquebal, tal situação a colocaria no topo da tabela classificativa, conquistando o Torneio de Futsal da Cidade de Maputo. Diante do Centro Infantil Universo, o outsider desta competição, os “petrolíferos” conseguiram vencer por 21 a 02 com oito golos e quatro assistências de Carlão. Na mesma ronda, a equipa da ADEC derrotou o Auto Avenida por 5 a 4.

Facebook
Twitter
LinkedIn
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!