Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Dhlakama visita Sofala num ambiente de dúvida

O líder da Renamo, Afonso Dhlakama, inicou nesta sexta feira uma visita a província central de Sofala, num ambiente de muita dúvida, face aos últimos desenvolvimentos que culminaram com a cisão do maior partido da oposição, e formação do Movimento Democrático de Moçambique (MDM).

Alias, o delegado político provincial da Renamo, Fernando Mbararano, escusouse a fornecer mais pormenores sobre o programa da visita de Dhlakama, remetendo o assunto ao presidente do partido. “Tudo será transmitido pelo próprio visitante à sua chegada no Aeroporto Internacional da Beira, onde estarão concentrados os membros e simpatizantes daquele partido, para receberem o seu líder”, disse Mbararano, quando chamado a fornecer mais detalhes desta visita pelo matutino “Noticias”.

Na ocasião, Mbararano limitou-se a explicar que, do Aeroporto, Dhlakama deverá dirigir-se imediatamente ao distrito de Chibabava, sua terra natal. A população que o irá acompanhar, deverá terminar a marcha e dispersar-se no bairro da Manga, nos arredores da cidade da Beira.

Esta será a primeira vez que o líder da Renamo visita a província de Sofala, evitando passar pelo populoso bairro da Munhava, zona em que, num passado recente, os membros da Renamo envolveram-se em escaramuças e actos de pancadaria com os do MDM, liderado por Daviz Simango.

As cenas de pancadaria ocorreram quando um grupo de antigos membros da Renamo, agora filiados no MDM, deslocouse a sede do partido de Dhlakama para entregar os símbolos do partido. De realçar que mesmo os jornalistas que estiveram no local para cobrir a cerimónia não escaparam a violência protagonizada pelos membros do partido Renamo, que entenderam tratar-se de uma provocação.

A visita de Dhlakama a província de Sofala, que surge após sucessivos adiamentos, é aguardada com muita expectativa pelos membros e simpatizantes da Renamo, pois poderá ajudar a dissipar equívocos com relação a “crise” que este partido tem estado a enfrentar naquela região do país. Esta crise agudizou-se devido as fricções entre a Renamo e Daviz Simango, facto que culminou com a sua expulsão do partido de Dhlakama, numa reunião realizada em Quelimane, província central da Zambézia.

Consumada a expulsão, Daviz Simango, acabou concorrendo como candidato independente nas eleições autárquicas de Novembro de 2008, tendo as ganho com uma margem folgada em relação aos seus principais opositores. Depois de sofrer uma pesada derrota neste pleito eleitoral, o líder da Renamo decidiu fixar residência em Nampula, alegando que precisa de estar em contacto directo com as bases.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Related Posts

error: Content is protected !!