Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Zalala foi o destino preferido

Mesmo com as péssimas condições em que se encontra a única estrada que dá acesso a praia de Zalala, cerca de 30 km, muitas pessoas nem sequer viram esta dor de cabeça.

Mas isso tem explicação. Com uma cidade de Quelimane sem destino turístico apetecível, as atenções das pessoas viraram para Zalala, fazendo com que a praia registasse uma enchente com pessoas de todas as idades.

Outros preferiram ver a transição do ano 2010 a 2011 naquele local turístico, embora também reconheçam que as condições turísticas estão longe de serem acolhedoras, mas prontos.

Os restaurantes ali existentes, não têm tido capacidades para responder a demanda dos clientes. Exemplo concreto é que na maioria dos restaurantes, não havia água e nem refrigerante. Todos tinham stocks vazios no concernente a estes líquidos que mencionamos.

O que nunca faltou foi a cerveja. Quer dizer, quem levou crianças para aqueles restaurantes, ficou privado de lhes dar água para beber muito menos refrigerantes.

Cidadãos que falaram ao nosso jornal disseram que um dos grandes problemas para ir a Zalala é a estrada, que na óptica destes, a mesma não oferece qualidade e já está degradada, dai que apelam ao governo da Zambézia para que faca de zalala um destino turístico, mas para isso, há que urgentemente rever a questão da estrada.

Os que bem entendem esta coisa de construção civil explicaramnos que aquilo que está acontecer naquela estrada concessionada a uma empreitada local, deixa de ser reabilitação, mas sim um simples trabalho de tapamento de buracos. Dai que o apelo é o mesmo de que o governo não só deve falar de turismo, mas também deve agir.

Aqui também o governo é chamado a por mão nos operadores turísticos que chegam a especular os preços de produtos naquele local, dai que muitas pessoas preferiram levar os seus mantimentos a partir de casa.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!