Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Ribáuè melhora acesso aos ARV’s

O sector de saúde, no distrito de Ribaué, na província de Nampula, acaba de reduzir as longas distancias que separam os pouco mais de mil doentes padecendo de HIV/SIDA, ali residentes, das unidades sanitárias para o tratamento daquela doença, mercê da entrada em funcionamento de mais um hospital dia, elevando para Dois o número de estabelecimentos de género naquela região.

Segundo apuramos, os doentes de HIV/SIDA em tratamento domiciliário ou ambulatório da sede do posto administrativo de Iapala e arredores, os seus parentes ou eles próprios, deixaram de fazer os mais de Cinquenta quilómetros de distancia para a sede do distrito, único local onde podiam aceder aos Anti-Rectrovirais (ARV’s).

Milena Valhares, médica chefe do distrito de Ribaué, reconheceu que se trata de um grande alivio, a entrada em funcionamento de mais um hospital dia, desta feita em Iapala, porque, segundo suas palavras, tal poderá reduzir os índices de desistência dos doentes aos tratamentos daquela doença e outras oportunistas.

Segundo dados estatísticos, o distrito de Ribaué conta actualmente com mais de mil doentes de HIV/SIDA, num universo de 105,704 pessoas, índice que faz com que a taxa de seroprevalência se situe em cerca de 1 por cento.

Embora seja considerada baixa, a taxa de seroprevalência, a mesma não deixa a de ser preocupante devido ao facto do distrito ser atravessado pelo chamado “corredor de Nacala”, que liga o litoral de Nampula ao “hinter-land”, através de linha férrea e estrada.

As comunidades locais, principalmente jovens, foram chamadas a envolverem-se activamente na assimilação das mensagens de prevenção.

As empresas fomentadoras de Algodão, que operam naquele distrito e que segundo as estatísticas dão trabalho directa e indirectamente a cerca de 14 mil pessoas, o que os coloca na condição de segundo maior empregador, depois do Estado, foi-lhes dada uma responsabilidade acrescida, no que se refere a divulgação de mensagens de prevenção contra a doença, sob o risco de a enfermidade comprometer as metas de produção.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!