Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Xiconhoquices da semana: Vala comum; Intercepção de comunicações; Explicações do Governo sobre dívidas

Xiconhoquices da semana: Novo Regulamento de Transporte em Veículos Automóveis; Passaporte falso de Nini sem falsificadores; Campanha eleitoral da Frelimo

Os nossos leitores elegeram as seguintes Xiconhoquices na semana finda:

Vala comum

É uma vergonha de proporções mundiais o facto de existir uma vala comum onde indubitavelmente foram abandonados os restos mortais dos indivíduos, sobretudo das Forças de Defesa e Segurança, perecidos no vergonhoso conflito armado que tem sido promovido pelo Governo. A Imprensa internacional – e também nacional – noticiaram que um grupo de camponeses encontrou uma vala comum com mais de cem corpos no distrito de Gorongosa. A vala foi descoberta numa área que foi utilizada para a extracção de areia para a reabilitação da Estrada Nacional nº 1, a principal estrada de Moçambique, num lugar próximo de uma mina de extracção ilegal de ouro, entretanto abandonada devido à escalada da violência militar na região. A Polícia da República de Moçambique (PRM), como sempre, veio a público desmentir o facto, afirmando que não havia nenhuma vala comum. Porém, as mentiras das autoridades policiais têm vindo a cair por terra, com informações dando conta de que há corpos espalhados por todo lado entre as províncias de Sofala e Manica.

Intercepção de comunicações

Pelas últimas informações, tudo indica que vivemos numa ditadura travestida de democracia. A liberdade e privacidade dos moçambicanos vão ficando cada vez mais inexistente, tudo por conta de iniciativas terroristas do Governo da Frelimo. A título de exemplo, o Governo moçambicana, para além de ter criado Forças Especiais, munidas de armas de guerra par amedrontar o povo, passou a ouvir as chamadas telefónicas, a ler as mensagens de texto (sejam por SMS, email, whatsapp, viber…) e a monitorar com quem o povo comunica nas redes sociais e os sítios da internet que visita. Lembre-se de que, no dia 16 de Março de 2016, a Assembleia da República aprovou com votos da Frelimo e do Movimento Democrático de Moçambique (MDM) a nova Lei das Telecomunicações que basicamente legaliza a intercepção de comunicações, nomeadamente chamadas telefónicas, SMS e IP’s de conexão a Internet dos cidadãos. E o pior de tudo é que esse negócio foi entregue à familia de Armando Guebuza.

Explicações do Governo sobre dívidas

? As explicações do Governo da Frelimo relativamente às dívidas contraídas com o aval ilegal do Estado não passam de conversa para boi dormir. Aliás, o Governo só veio a público falar das exorbitantes dívidas que colocam o país à beira do desespero após o puxão de orelha que recebeu em Washington. Numa vã tentativa de lançar areia para os olhos dos moçambicanos, o Primeiro-Ministro, Agostinho do Rosário, e o Ministro da Economia e Finanças, Adriano Maleiane, a mando do Governo, vieram dizer o óbvio para o povo, ocultando ainda várias informações de interesse público. Na sua santa estupidez, o Governo da Frelimo acusa o partido Renamo de ser o principal motivador das dívidas, quando se sabe que as mesmas foram contraídas para ampliar patrimónios individuais.

WhatsApp
Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

error: Content is protected !!