Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Xiconhoquices da semana: Abate de tubarões em Inhambane; Atraso na reparação de estradas; Violação de direitos humanos pela Polícia

Xiconhoquices da semana: Investimentos do Banco Mundial em combustíveis fósseis; Endividamento das Empresas Públicas; Crise de gás de cozinha

Os nossos leitores elegeram as seguintes Xiconhoquices na semana finda:

Abate de tubarões em Inhambane

Desde que o Governo autorizou a caça sem compaixão de tubarão que tem feito vítimas na baía de Inhambane, os pescadores locais mataram tubarões pequenos no último domingo e protagonizaram um massacre de outros tubarões de grande espécie. O problema está resolvido e nenhuma pessoa será atacada? A resposta à pergunta só o tempo poderá dar. Mas o certo é que não se percebe como é que uma autoridade permite que se abata um animal que causou mortes e ferimentos no seu habitat. Alguém, por acaso, queria que o tubarão vivesse em terra firme? Esse tubarão que está a ser caçado deslocou-se das água para a terra e fez vítimas ou estas é que foram ao seu encontro? Qual dos nove tubarões casou óbitos e feridos? Não é só uma xiconhoquice irritante caçar esses animais para abatê-los, como também é uma medida mal pensada e própria de um Executivo que improvisa soluções.

Atraso na reparação de estradas

Em Nampula há cinco distritos (Larde, Angoche, MogincualMoma e Liupo) cujas estradas podem ficar intransitáveis com a quedas das próximas chuvas, pois estamos numa época propícia a precipitações pluviométricas. Este é apenas um exemplo dos pontos do país onde a situação é deveras precária e ameaça deixar dezenas de localidades isoladas umas das outras. Na época chuvosa passada, o Governo andou a propalar de lés a lés que dispunha de dinheiro para reabilitar as vias afectadas pelas chuvas, o que não se materializou completamente. Esta situação já não é surpreendente porque tem sido recorrente todos os anos. Só não percebemos por que raio de carga de águas o Chefe de Estado admite que tal aconteça porque na sua tomada de posse prometeu não descansar enquanto o país estiver “rasgado” pelas chuvas e demais situações que tornassem as estradas intransitáveis.

Violação de direitos humanos pela Polícia

A Polícia da República de Moçambique (PRM) deteve há dias, em Maputo, um grupo de cidadãos acusados de pertencerem a um grupo de indivíduos que agridem moradores com recurso a catanas. Depois de se vasculhar as habitações dos visados, nada de anormal foi encontrado. Os indivíduos foram recolhidos pelos agentes da Lei e Ordem, mas, chegados à esquadra, eles já detinham armas de fogo e catanas. Por via disso, a Polícia desferiu golpes violentos contra os acusados, alegadamente porque eram homens armados da Renamo e perpetrarem tais actos criminais. Pesou para tal acção bárbara o facto de os visados possuírem cartões de membro daquele partido liderado por Afonso Dhlakama. Alguma vez ter cartão de membro um partido da oposição foi considerado delito? Que a Polícia “planta” provas de crime nas suas operações é publicamente sabido. O que é vil e condenável é um polícia torturar uma pessoa que sabe que nada fez. Quem vai responsabilizar os agentes da Lei e Ordem pela violação dos direitos humanos e por este comportamento doentio que se caracteriza pela euforia pelo sofrimento de outrem?

Share on whatsapp
WhatsApp
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on telegram
Telegram

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

error: Content is protected !!