Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Xiconhocas da semana: Polícias que matam cidadãos; Empresas de construção; Estupradores

Xiconhocas da semana: Lizha James; Atanásio M’Tumuke; Standard Bank

Os nossos leitores elegeram os seguintes Xiconhocas na semana  finda:

Polícias que matam cidadãos

A cada dia que passa fica claro que os piores criminosos que os moçambicanos devem temer é a Polícia da República de Moçambique. A Polícia moçambicana têm vindo a assassinar cidadãos, numa clara violação dos direitos humanos. A título de exemplo, dois cidadãos, acusados de serem perigosos malfeitores, foram mortos pela Polícia. Um dos casos deu-se na cidade de Nampula e outro em Nacala-Porto. Um outro caso ocorreu na cidade da Beira. Nessas três situações, a Polícia é o criminoso, facto que causa profunda indignação, pois o papel da Policia não é tirar a vida dos cidadãos, mas sim protegê-los.

Empresas de construção

É bastante vergonhoso o que se tem vindo a assistir no sector da construção civil. Nos últimos tempos, vão aparecendo inúmeras empresas no ramo que, deliberadamente, escamoteam a Lei do Trabalho vigente no país. Do rosário da irregularidade das empresas de construção civil destacam a falta de segurança dos trabalhadores, salários baixos, para além da falta de contratos de trabalho. O mais deprimente nesses casos tem sido o silêncio cúmplice das autoridades governamentais. Aliás, quando agem, geralmente o fazem muito tarde.

Estupradores

Com este andar de carruagem, o Estado moçambicano deve começar a ponderar a hipótese de introduzir pena de mortes para um bando de dementes que tem causado dor e luto nas famílias moçambicanas, como são os casos de estupradores. A cada dia que passa são reportados acções macabras dessa corja que devem ser castrada. Por exemplo, uma cidadã de 45 anos de idade perdeu a vida, vítima de abuso sexual cometido por pessoas desconhecidas, no bairro de Intaka, no município da Matola. Xiconhocas!

Share on whatsapp
WhatsApp
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on telegram
Telegram

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

error: Content is protected !!