Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Vodacom com nova roupagem no mercado

A Vodacom, a segunda maior operadora de telefonia móvel em Mocambique, lançou, quarta-feira, em Maputo, a sua nova imagem corporativa, na qual a cor azul é substituída pelo vermelho e pelo slogan ‘tudo bom para ti’.

A mudança de imagem contempla também o logo que foi igualmente alterado, passando a operadora a ostentar o mesmo logótipo da Vodafone.

Falando durante a cerimónia, o presidente do Conselho Executivo da Vodacom, José dos Santos, disse que o ‘dia de hoje simboliza mais do que uma mudança do azul para o vermelho. É uma verdadeira transformação na forma como gerimos o negócio, como lidamos com os nossos colaboradores e, acima de tudo, como lidamos com os nossos clientes’.

Esta mudança de cor, explicou dos Santos, é um simples reflexo exterior de uma mudança ainda mais profunda na Vodacom. ‘É uma viagem que está a começar e os nossos clientes irão sentir a diferença já nas próximas semanas’, disse.

Prosseguindo, dos Santos disse que a troca de cores não está a acontecer apenas em Moçambique, pois a mesma abrange todas as subsidiárias da Vodafone. ‘É uma troca internacional e já aconteceu o mesmo este fim-de-semana na África do Sul, na Tanzânia e no Lesotho’, disse.

‘A partir de hoje até o dia 14 de Abril será um processo de troca de imagem para as pessoas perceberem que não é mais o azul é o vermelho. Então, a partir de 14 de Abril haverá uma diferença total nos serviços que serão oferecidos ao cliente’, acrescentou.

Questionado se as mudanças em curso na Vodacom implicariam um redimensionamento da massa laboral, dos Santos disse que “não. Não haverá um redimensionamento da mão-de-obra, tudo vai ficar como está e não existe nada nesse sentido.

Sobre a questão polémica do registo dos cartões SIM, decretado pelo governo e cujo prazo expirou em Janeiro último, dos Santos garantiu que a sua companhia não possui planos de cortar o acesso aos clientes que ainda não fizeram o registo.

‘Não. Nós não temos intenções por enquanto de desligar ninguém. Estamos em contactos com o Ministério dos Transportes e também temos um caso no tribunal contestando a maneira como o processo está ser feito. Mas continuamos a registar os nossos clientes’, disse dos Santos.

O governo decidiu introduzir o registo obrigatório de cartões SIM em finais de 2010, na sequência das violentas manifestações de 1 e 2 de Setembro de 2010, em protesto contra o elevado custo de vida e que foram organizadas por via de SMS.

A Vodacom, que iniciou as suas operações no mercado moçambicano em 2004, instalou nos últimos 12 meses 100 novas torres por todo o país com especial incidência para as províncias de Inhambane, Nampula, Sofala e Zambézia.

No mesmo período foram colocadas em operação 70 torres com tecnologia 3G. Para garantir a qualidade do serviço, a Vodacom investiu na instalação de fibra óptica na cidade de Maputo e na sua própria rede de transmissão ligando as cidades de Maputo/Beira; Beira/Chimoio; Beira/Tete, estando actualmente em construção o troço Beira/Nampula.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!