Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

verdade inconveniente

verdade inconveniente

Caros amigos, amigas, irmas e irmaos, compatriotas!

“Nós confiamos por muito tempo e já é altura de dizermos aos nossos líderes que reclamamos as vidas de todos aqueles que morreram nas mãos dos líderes da SADC porque eles têm a responsabilidade de travar aquela confusão”, Graça Machel, citada pela agência sul-africana de notícias “Mail and Guardian”.

O povo Zimbabweano está a ser martirizado por alguém que não respeita o seu direito soberano e muito menos os seus direitos mais elementares e inalienáveis! Vítima de um ‘libertador’ que se acha dono do país e do povo Zimbabweano! Vítima de torturas pelas forças policiais que têm a missão constitucional de proteger esse mesmo povo. Martirizado pela galopante inflação que obriga o pacato cidadão zimbabweano a apertar cada vez mais o cinto, enquanto a Mamã Grace Mugabe faz compras na Singapura ou na Malásia! Martirizado pela cólera que ceifa a vida de inocentes crianças, jovens, mulheres! Martirizado por nós, que com o nosso silêncio cúmplice acabamos aliando-nos ao mais forte, ao carniceiro, ao opressor!

É altura de dizermos basta! Sem violência, como nos ensinaram Jawarlal Nehru, Ghandi e Martin Luther King!

Por cada segundo, minuto, hora, dia, semana, mês e ano em que nos mantemos calados, o nosso silêncio começa a colocar-nos não do lado da justiça mas do lado da injustiça. Não do lado do oprimido mas do lado do opressor; não do lado das vítimas mas do lado do perpetrador da violência; não do lado da lei mas dos fora-da-lei que transformaram os instrumentos legítimos do Estado em instrumentos de opressão do povo, esquecendo-se de que a soberania reside no povo e que a democracia é o poder do povo, pelo povo e para o povo!

Nós como moçambicanos temos uma responsabilidade maior para com o destino do povo do Zimbabwe! Foram irmãos nossos que, empunhando armas lutaram lado a lado com os verdadeiros patriotas como Tongogara! Foram irmãs nossas que, lado a lado com as irmãs Zimbabweanas, desafiaram o regime minoritário de Ian Smith! Foram nossos primos, e primas, sobrinhos e sobrinhas que deram as suas vidas para que o povo do Zimbabwe fosse livre! Foram moçambicanos como Aquino de Bragança e Fernando Honwana que ajudaram a desbloquear o impasse em que se encontravam as negociações de Lancaster House! Foi Moçambique que ‘forçou’ Mugabe a assinar o acordo de Lancaster House! Foram moçambicanos que morreram em Nhazónia, nos ataques do exército de Ian Smith! Foi a economia moçambicana que teve que aguentar com o embargo decretado pelas Nações Unidas, e até hoje continuamos a pagar o preço dessa decisão corajosa! Por isso, caros compatriortas, nós, como mocambicanos, mais do que outro povo da região, temos de fazer eco às palavras da Mama Graça! Temos de assumir a nossa missão libertadora, porque quando libertamos o Zimbabwe, quando demos as nossas vidas, não o fizemos por um partido, por um homem ou por uma elite, fizemo-lo, sim, pelo POVO DO ZIMBABWE!

Chega!

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Related Posts

error: Content is protected !!