Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Ventos do interior agravam incêndios na Austrália

Os bombeiros australianos enfrentam, Terça-feira (8), centenas de incêndios florestais, alimentados por uma onda de calor e por fortes ventos quentes vindos do “outback”, o sertão australiano.

Eles, no entanto, estão confiantes de que conseguiram evitar um dia catastrófico no país, sem mortes nem danos consideráveis por causa dos incêndios.

Centenas de pessoas precisaram de deixar as suas casas por causa dos incêndios no sudeste da Austrália, enquanto outros não tiveram escolha senão refugiar-se nas suas próprias moradias, acuados pelo avanço das chamas.

Em alguns lugares, a temperatura chegou a 45ºC. Mas o clima melhorou ao anoitecer na costa leste da Austrália, e em algumas localidades a temperatura caiu 20ºC em questão de horas, e isso pode contribuir para o combate aos incêndios.

“É meio que um festival itinerante, com muitos incêndios ainda a serem identificados”, disse Shane Fitzsimmons, comissário de incêndios do Estado de Nova Gales do Sul (NGS), alertando que o alívio irá durar apenas alguns dias, antes que o calor regresse com os ventos do interior.

As condições actuais são semelhantes às do “sábado negro” de 2009, quando incêndios florestais no Estado de Victoria mataram 173 pessoas e deixaram prejuízos de 4,4 bilhões de dólares. Desta vez, a onda de incêndios começou há uma semana, e atinge cinco dos seis Estados australianos.

Mais de 137 focos foram registados em NGS, o mais populoso Estado australiano, e nas florestas em torno de Canberra, a capital nacional. Cerca de cem casas, a maioria na ilha da Tasmânia (sul), foram destruídas por incêndios nos últimos dias, e muita gente ainda está desaparecida nas áreas afectadas.

Mais de 40 incêndios estavam descontrolados, Terça-feira, e em alguns casos há suspeita de autoria criminosa. Milhares de bombeiros trabalham auxiliados por mais de 60 aviões-tanque.

Cinco áreas no sul de NGS foram declaradas em situação de calamidade, com os moradores a serem orientados a se retirarem. “Pegamos os álbuns de fotos, malas, roupas e joias, e conseguimos sair enquanto podíamos”, disse Hallie Fernandez, dona de uma pensão na localidade de Brogo.

Em Sydney, maior cidade da Austrália, onde a temperatura alcançou 41,8ºC, milhares de pessoas rumaram para as famosas praias locais, enquanto no zoológico os tratadores davam banho de mangueira aos animais.

O calor também causou um incêndio numa instalação de pesquisas nucleares no sul de Sydney, por causa do super-aquecimento dos cabos numa subestação eléctrica próxima. Na zona norte da cidade, milhares de casas tiveram falta de energia em decorrência do excesso de demanda.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!