Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Uso de novas tecnologias para promover serviços do sector informal é fraco

Há fraco investimento na democratização da informação e no acesso aos serviços no mercado de trabalho a partir da inovação tecnológica, particularmente no uso da internet e telemóveis, o que faz com que o sector informal, que apesar de ser desenvolvido por mais de 80 porcento da população moçambicana economicamente activa, continue altamente negligenciado.

Frederico Silva, um dos criadores da página electrónica emprego.co.mz e vencedor do concurso “Fora da Caixa” (promovido pelo Ministério de Ciência e Tecnologias) com o projecto “Biscate”, cujo acesso é a partir de um aparelho de telefone celular, disse ao @Verdade que a taxa de desemprego no sector informal, que galvaniza a economia moçambicana, deve-se, em parte, à falta de credibilidade dos serviços prestados.

Todavia, os poucos sítios na Internet existentes no país prosseguem o desiderato de mudar o cenário. “Quem acede ao projecto Biscate procurar serviços ou mão-de-obra, enquanto no emprego.co.mz os utentes procuram emprego”, explicou o entrevistado, para quem as instituições públicas e privadas e os empresários deviam investir na inovação tecnológica e estimular a criação de mais plataformas tecnológicas com vistas a promover o acesso a outros serviços diversificados.

“Quando vemos placas de publicidade nas árvores, na cidade, sobretudo nos arredores, temos a percepção de que os serviços fornecidos não são credíveis não se deve contactar essas pessoas. Mas isso não é verdade, há pessoas no sector informal com muita competência”, disse um dos sócios da empresa moçambicana UX Information Technology, focada no desenvolvimento de tecnologias online para o mercado nacional.

Frederico Silva explicou que o emprego.co.mz tem assegurado que mais candidatos a emprego tenham aceso gratuito às instituições de trabalho. O sítio que no primeiro dia de funcionamento, 01 de Maio de 2012, teve 178 visitas, actualmente regista em média diária entre 14 mil e 16 mil visitas, o que. na sua opinião, reflecte que há mais pessoas que procuram melhores oportunidades de trabalho e integração no mercado.

Entretanto, apesar do sucesso e do facto de o emprego.co.mz ser um dos maiores websites em Moçambique, a dado memento, a oferta de vagas de emprego via Internet ainda impunha limitações na democratização de informação. É que uma maior taxa de pessoas ou fornecedores de serviços, que actuam no sector informal, tais como electricistas, jardineiros, canalizadores, carpinteiros estavam marginalizados. Criou-se um serviço que lhes permite divulgar os seus serviços através de um SMS’s.

Nesse, contexto, em Maio próximo, será lançada outra ferramenta para os candidatos a emprego, a qual permitirá que o candidato disponha do seu perfil online e por via disso possa ser contactado pelas empresas que procuram determinados profissionais. trata-se de um serviço que garante privacidade, para além de o candidato poder ainda fazer a actualização dos seus documentos e escolher as empresas para as quais pretende estar ou não visível.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!