Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Universidade Politécnica: 975 alunos das Acácias iniciam ano lectivo

Universidade Politécnica: 975 alunos das Acácias iniciam ano lectivo

Foto de Fim de SemanaCom um universo de 975 alunos, a Escola Secundária das Acácias (ESDA), uma unidade orgânica da Universidade Politécnica, em Maputo, deu início, na segunda-feira, 5 de Fevereiro, ao ano lectivo de 2018, sob o lema “Por uma educação inclusiva, competitiva e de qualidade”.

Esta unidade de ensino tem vindo a registar um crecimento exponencial. Iniciou as suas actividades em 2010 com 106 alunos e 20 professores. Hoje, volvidos oito anos, a escola conta com 975 alunos e perto de 60 professores, para o presente ano lectivo.

Intervindo na cerimónia de abertura do ano lectivo de 2018 da ESDA, a directora geral dos IMEP`s (Institutos Médios Politécnicos) e das Escolas Secundárias da Politécnica (ESDP), Natália Folgado, considerou que o crescimento da ESDA “representa um desafio em buscar e garantir cada vez mais a qualidade do ensino e a formação de cidadãos, para uma sociedade que se mostra cada vez mais exigente e competitiva, reflectindo por isso a referência em que a nossa escola se tornou”.

Dirigindo-se igualmente aos alunos, professores e encarregados de educação, a pró-reitora para Pós-Graduação, Investigação Científica, Extensão Universitária e Cooperação da Universidade Politécnica, Rosânia da Silva, referiu-se à difícil situação económica que o País enfrenta.

“A maioria de nós teve de redimensionar a gestão financeira familiar. Reduzir gastos, cortar despesas. Todos os que aqui estão hoje entenderam como prioritário o investimento na educação e assumiram que esta não é uma despesa que pode ser cortada, mas sim é um investimento”, realçou.

Acrescentou que “devemos manter esta visão e atitude, porque investir na educação dos filhos é o maior legado que os pais podem transmitir para os seus educandos”.

No seu entendimento, sem a educação as pessoas estão condenadas a perpetuar a condição primitiva e a viver como selvagens: “Muitas das guerras, assassínios, violações, abusos de poder que vemos hoje um pouco por todo o lado no mundo, talvez não existissem se os homens não mantivessem ainda uma parte da natureza primitiva”, frisou Rosânia da Silva.

Na ocasião, foram ainda distinguidos os melhores alunos de 2017. Similar evento teve lugar na sexta-feira, 2 de Fevereiro, marcando a abertura do ano lectivo de 2018 do IMEP-Instituto Médio Politécnico, outra unidade orgânica da Universidade Politécnica, em Maputo.

A cerimónia contou com a presença de membros da direcção do IMEP e do reitor da Universidade Politécnica, Narciso Matos, que encorajou aos estudantes a recorrerem ao Gabinete de Atendimento Psicológico (GAP), caso necessitem de apoio.

Facebook
Twitter
LinkedIn
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!