Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

UNFPA adere ao fundo comum do sistema nacional de estatística

O Fundo das Nações para a População (UNFPA) acaba de formalizar a sua adesão ao Fundo Comum do Sistema Nacional de Estatística. Com efeito, rubricou, quinta-feira, um acordo que nos termos do qual disponibiliza 300 mil dólares norteamericanos ao Instituto Nacional de Estatística (INE).

O montante destina-se a apoiar as actividades desenvolvidas por esta instituição do Estado vocacionada a recolha de dados estatísticos em Moçambique. O acordo formalizando esta aderência, valida ate 2012, foi rubricado, em Maputo, pela representante do UNFPA em Moçambique, Patrícia Guzman, e pelo presidente do INE, João Loureiro. Segundo fonte do UNFA que a AIM teve acesso, anualmente, aquele órgão das Nações Unidas vai anunciar o valor da sua contribuição para este fundo, que se destina, essencialmente, a apoiar as actividades do Plano Estratégico do Sistema Estatístico Nacional 2008-2012.

Falando na ocasião, Patrícia Guzman disse que o UNFPA adere ao Fundo Comum por reconhecer a importância do trabalho que o INE esta a realizar na recolha, tratamento e disponibilização de dados estatísticos de qualidade. “O trabalho do INE é fundamental para que todos os exercícios de planificação, monitoria e avaliação orientados para a redução da pobreza sejam realizados com base em evidências”, acrescentou Guzman. Por seu turno, João Loureiro reconheceu que a aderência do UNFPA ao Fundo representa um estágio de cooperação baseado na confiança que a organização deposita ao INE.

“Esperamos que a adesão do UNFPA catapulte a entrada de outros parceiros”, disse. Com os fundos disponibilizados pelos parceiros, segundo Loureiro, o INE poderá fazer uma maior exploração dos dados que tem recolhido. O UNFPA, com mais de 30 anos de colaboração, afigura-se como um dos principais parceiros de cooperação do INE, tendo apoiado esta instituição na realização dos censos populacionais de 1980, 1997 e 2007.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!