Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Uma vida dedicada às telas

Uma vida dedicada às telas

Mestre Simbine

Começou a pintar em 1969, ensinado pelo Mestre Agostinho Muthemba e desde o início da sua carreira trabalha numa pequena varanda de sua casa no bairro do Aeroporto, na cidade de Maputo. Moisés Simbine é autor de várias obras que figuram no Museu Nacional de Arte e no Núcleo de Arte.

O artista já participou em várias exposições colectivas na Nigéria, África do Sul e em alguns países europeus. Também participou ao lado de nomes como Malangatane e João Craveirinha na pintura de uma das grandes obras artísticas do país que está patente no mural da Praça dos Heróis Moçambicano em Maputo. Para além das exposições, grande parte das suas obras são comercializadas em diversos pontos turísticos do país. Com capacidade para produzir mais de quinze quadros comerciais por dia, o Mestre referiu-se a esta arte como sendo a sua principal fonte de rendimento.

 

Pai de catorze filhos, dos quais três estão a seguir as pegadas do progenitor, o pintor considera ser possível ganhar a vida com a arte, apesar da exiguidade do mercado nacional. “Os turistas estrangeiros, sobretudo os europeus, apreciam muito este tipo de trabalhos e para os artistas plásticos é uma oportunidade de exportar as obras, e de obter maior rendimento”, disse. Acrescentou que a nível nacional as obras de arte não tem apreciação. “Dependemos dos turistas para vender o nosso produto”.

Questionado sobre o tempo que leva em média para pintar um quadro, o Mestre respondeu que “para os quadros comerciais levo uma hora enquanto para os que se destinam às exposições, levo mais tempo porque é preciso muita concentração e abstracção”, disse.

Actualmente, o Mestre Simbine está empenhado na transmissão dos conhecimentos da técnica de pintar aos mais novos. Com mais de trinta e cinco anos de carreira o Mestre pretende deixar o legado de saber trabalhar a tela aos jovens que querem abraçar as artes plásticas. “ A minha casa é uma escola. Daqui já saíram muitos artistas plásticos e continuo a ensinar a quem se interessa”. Gadito Guambe, Simon, Miquinho e Silvano, são alguns dos artistas plásticos que passaram pelas mãos do Mestre Simbine.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!