Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

TTA e Aairlink formam “Jointventure”

A Sociedade de Transporte e Trabalho Aéreo (TTA) de Moçambique e a companhia área sul-africana “SA Airlink” formaram uma parceria para a criação de uma nova empresa designada “TTA Airlink”, que vai fazer voos domésticos em Moçambique e regionais, reporta o jornal sul-africano “Business Day”, na sua edição de uqarta-feira.

A “TTA Airlink” deverá começar a operar a 14 do corrente mês com ligações diárias entre Maputo, capital moçambicana, e a cidade sulafricana de Johanesburgo, antes de expandir as suas ligações para outros pontos de Moçambique. “O novo serviço para Maputo, que parte de Johanesburgo no período da manhã e regressa no fim do dia, vai permitir aos empresários viajar para Maputo e permanecerem durante todo o dia antes de regressarem a casa”, disse terça feira, o director geral da SA Airlink, Rodger Foster. Na nova companhia a SA Airlink detém 49 por cento das acções, sendo as remanescentes pertencentes a TTA.

Para o efeito, a TTA Airlink vai usar uma aeronave do tipo “Avro RJ85”, em sistema de leasing, pertencente a SA Airlink. Segundo Foster, a TTA Airlink poderá expandir as suas ligações dentro das próximas semanas, a partir de Maputo, para ligar as cidades da Beira, capital da província central de Sofala; Tete, capital da província que ostenta o mesmo nome no centro de Moçambique e a cidade de Nampula, capital da província nortenha com o mesmo nome.

“Numa primeira fase nos vamos fazer três voos semanais para Tete, para permitir que os passageiros do vôo Johanesburgo Maputo possam seguir para a cidade de Tete”, disse Foster. Numa fase mais avançada, a TTA Airlink vai fazer ligações diárias entre Maputo e Beira, a segunda maior cidade de Moçambique. Actualmente, a SA Airlink tem ligações diárias entre Beira e Johanesburgo, o que confere mais opções aos passageiros. Há cerca de três anos que as duas companhias aéreas vinham mantendo negociações, tendo sido possível concretizar os seus planos de formar uma “joint-venture” quando a política aérea bilateral entre os dois países foi alargada para incluir outras operadoras entre ambos os países.

Actualmente, a rota Maputo – Johanesburgo é explorada pelas Linhas Aéreas de Moçambique (LAM) e a sua congénere sul-africana SAA. Contudo, após as mudanças registadas nos acordos bilaterais, em Julho do ano passado, as autoridades moçambicanas concederam a companhia sul-africana “1Time” e a TTA Airlink o direito de explorar a mesma rota. Citado pelo “Business Day”, o presidente do Conselho de Administração da TTA e TTA Airlink, Alex Teixeira, disse que a sua empresa havia sido abordada por várias companhias aéreas europeias para uma possível parceria, mas que a sua empresa concluiu que seria mais sensato formar uma “joint-venture” com uma companhia sul africana.

Foster acredita que Moçambique, um país em franco crescimento, oferece à nova companhia aérea enormes oportunidades para crescer.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!