Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Tribunal Constitucional confirma vitória do Presidente cessante no Gabão

O Tribunal Constitucional do Gabão rejeitou finalmente o recurso interposto pelo candidato Jean Ping, junto do Tribunal Constitucional, validando assim a eleição do Presidente cessante, Ali Bongo Ondimba, com 50,66 porcento dos votos contra 47,24 porcento para Jean Ping.

Jean Ping recorreu, a 9 de Setembro corrente, para o Tribunal Constitucional para exigir a recontagem dos boletins de voto na província de Haut-Ogooué (sudeste), onde o seu advesário, Ali Bongo Ondimba, obteve, segundo o Ministério do Interior, um resultado de 95 porcento dos votos para 99 porcento de taxa de participação.

Após o anúncio da decisão do Tribunal Constitucional, unidades da Polícia e do Exército foram desdobradas nas ruas de Libreville, a capital, receando-se um eventual levantamento da população. A PANA constatou no local que, apesar de uma calma precária reinar na cidade, a situação continua tensa e as ruas estão quase vazias.

A maioria dos observadores da vida política nacional já esperava que o Tribunal Constitucional, uma instituição criada pelo Partido Democrático Gabonês (PDG, no poder), proclamasse Ali Bongo vencedor das eleições presidenciais de 31 de agosto de 2016.

As eleições presidenciais no Gabão foram conjuntamente organizadas pelo Ministério do Interior, pela Comissão Nacional Autonóma e Permanente (CENAP) e pelo Tribunal Constitucional cuja decisão é irrevogável.

Para manter a vitória de Ali Bongo Ondimba, o Tribunal Constitucional modificou parcialmente, sexta-feira à noite, os resultados do escrutínio de 27 de Agosto último e anulou os escrutínios em 21 circunscrições da cidade de Libreville.

Perante o receio de um levantamento popular, Ali Bongo Ondimba apelou imediatamente a todos os responsáveis políticos, incluindo os candidatos derrotados nas eleições de 27 agosto último, para um diálogo político.

Durante uma conferência de imprensa realizada, quinta-feira à tarde, em Libreville, o responsável de Comunicação de Jean Ping, Jean Gaspard Ntoutoume Ayi, lembrou que « Jean Ping representa uma personalidade de diálogo e convencida da sua pertinência”. Por isso, admitiu que “chegará o momento da reconciliação que passará pelo diálogo entre as filhas e os filhos deste país”.

Esta mensagem soou como um sinal de apaziguamento. Por outras palavras, a oposição estaria disposta a abrir a via do diálogo para integrar, e sob reservas, um Governo de larga abertura sob a Presidência de Ali Bongo Ondimba.

O Gabão constitui um pequeno país petrolífero da África Central povoado de quase um milhão e 800 mil habitantes. Mais da metade da população vive em Libreville, a capital.

No poder desde 2009, após a morte em Barcelona, na Espanha, do seu pai Omar Bongo Ondimba que dirigiu o país durante mais de 44 anos, Ali Bongo Ondimba vai, dentro de alguns dias, inaugurar o seu segundo mandato presidencial na magistratura suprema do país no meio contestações sociais, lembre-se.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!