Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Trabalhos sobre HPV e HIV rendem Nobel de Medicina a alemão e franceses

Trabalhos sobre HPV e HIV rendem Nobel de Medicina a alemão e franceses

Prémio Nobel

O prémio Nobel de Medicina de 2008 foi atribuído ao alemão Harald zur Hausen e aos franceses Françoise Barré-Sinoussi e Luc Montagnier pelas suas descobertas separadas sobre dois vírus, o HIV (SIDA) e o HPV (cancro do colo de útero), anunciou em Estocolmo, o Comité Nobel.

Zur Hausen trabalhou contra os dogmas ao afirmar que o papiloma vírus humano (HPV) causa o cancro do colo de útero, o segundo tipo de cancro mais comum entre as mulheres. Ele descobriu que o HPV poderia existir de uma maneira não ativa em tumores – segundo a sugestão do alemão, o HPV pertencia a um grupo um tanto heterogêneo de vírus, que causa cancro.

Ele afirmou que as células do tumor, se contivessem um vírus, deveriam abrigar DNA viral integrado ao seu genoma. Por isso, poderiam ser detectados pela busca de material genético do vírus nas células cancerígenas.

As descobertas de Zur Hausen levaram a novas propriedades do HPV, que fizeram com que os médicos entendessem melhor os mecanismos do vírus e de como ele aumenta os riscos desse tipo de cancro.

 

HIV

Barré-Sinoussi e Montagnier compartilham a outra metade do prêmio, por ter contribuído com a descoberta do vírus de imunodeficiência humana (HIV), que provoca a SIDA. “A descoberta foi fundamental para a atual compreensão da biologia desta doença e seu tratamento retroviral”, afirma um comunicado do Comitê Nobel. O prêmio para a dupla francesa deve gerar polêmica. Isso porque o norte-americano Robert Gallo também reivindica para si o título de descobridor de SIDA – Gallo é acusado de ter “roubado” os estudos de Montagnier.

Entre 1983 e 1984, Montagnier teria sido o primeiro a isolar o vírus HIV e enviado amostras para Gallo. A partir disso, o norte-americano teria descoberto que aquele vírus era o causador da SIDA, a doença desconhecida que alarmava o mundo na primeira metade da década de 80.

“Nós éramos amigos antes da controvérsia e voltamos às boas desde que o problema foi resolvido em 1988. Nós dois sabemos o que cada um fez”, afirmou Gallo no ano passado. “Não há dúvida de que o trabalho de Montagnier sobre o vírus foi publicado antes. Não há dúvida que eu forneci a idéia e a maior parte da tecnologia que ele utilizou”, disse o norte-americano.

Os prêmios serão entregues oficialmente durante uma cerimônia celebrada em Estocolmo e Oslo no dia 10 dezembro.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Related Posts

error: Content is protected !!