Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Títulos académicos de nível superior vulgarizados

O Conselho de Reitores de Moçambique critica “as instituições de ensino superior com menor qualificação” por atribuírem graus honoríficos “sem verificar as condições éticas para a concessão” e oferecerem mestrados de uma “forma anacrónica”.

O presidente em exercício do Conselho de Reitores de Moçambique, Lourenço do Rosário, disse que, na 24.ª sessão, aquele organismo abordou a problemática dos ciclos de formação, nomeadamente a aquisição de grau de mestre.

“Algumas instituições de ensino superior, principalmente aquelas com menor qualificação, têm estado a oferecer cursos de mestrado de uma forma anacrónica, sendo que o país não tem um número suficiente de doutores para garantir mestrados de qualidade”, disse do Rosário, que é igualmente reitor da Universidade Politécnica, instituição privada.

Ele acrescentou que “algumas instituições ainda não consolidaram as suas licenciaturas e já oferecem mestrados, muitas delas não têm, do ponto de vista regulamentar, competências para oferecer determinados cursos, além de que alguns estatutos dessas instituições não estão adequados à lei do ensino superior”.

A sessão plenária do Conselho de Reitores realizada na semana passada em Maputo discutiu ainda a autonomia das instituições na concessão de graus honoríficos.

“Muitas instituições de ensino superior têm estado a conceder graus honoríficos sem verificar as condições éticas para a concessão”, acrescentou Lourenço do Rosário, defendendo que o grau de doutoramento “honoris causa” deve ser concedido por fases. Em Moçambique, existem cerca de três dezenas de instituições de ensino superior.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!