Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Tete produz iogurte e leite a partir de soja

Uma pequena indústria caseira para o fabrico de iogurte e leite, a partir de soja, foi instalada no distrito de Angónia, na província central de Tete, em Moçambique.

A referida a fábrica, que entrou em actividade há cerca de dois anos, abastece actualmente o mercado local e as cidades de Tete, capital provincial e Chimoio (Manica), Beira (Sofala) e Maputo.

Teresa Luís, proprietária do empreendimento que funciona na Vila de Ulongue, diz que a unidade produz cerca de 65 litros de iogurte por semana, havendo boas perspectivas para a sua expansão graças a grande demanda que se regista no mercado.

Citada na edição de hoje do jornal “Noticias”, a fonte disse que o equipamento foi disponibilizado através de um projecto dinamarquês denominado ADIPSA, que tem vindo a apoiar os programas de agricultura nas províncias de Manica e Tete.

“Valeu a pena a ideia, pois, estou a conseguir alguns rendimentos e já consegui amortizar a dívida que contrai para a aquisição do equipamento”, disse Teresa Luís, adiantando que começou a fabricar o leite e iogurte em poucas quantidades para testar o mercado e mais tarde foi aumentando a producao em função da demanda.

“Agora estou a reduzir, paulatinamente, a produção de leite devido ao seu fraco mercado. Localmente, vendo o produto mas é mais consumido por pessoas que vivem fora de Angónia, nas cidades de Tete, Chimoio, Beira e até Maputo onde tenho pessoas que recebem por encomendas”.

O produto acabado, segundo Teresa Luís, é embalado em pacotes plásticos próprios que são adquiridos e estampados no vizinho Zimbabwe.

Trata-se de materiais que, segundo ela, oferecem uma qualidade de higiene e limpeza, bem como um boa conservação.

O iogurte de soja é embalado em quantidades de meio e um litro, custando cada unidade 30 e 60 meticais respectivamente (um dólar equivale a cerca de 27,6 meticais ao câmbio corrente).

Este preço é considerado acessível uma vez que o produto principal, a soja, é produzido em grandes quantidades pelos agricultores locais que, devido à falta de mercado, vendem parte significante da sua produção no Malawi, um país que partilha a mesma fronteira com o distrito de Angónia.

Teresa Luís manifestou a sua intenção de iniciar brevemente a produção de queijo e hambúrguer a partir da soja, produtos que serão colocados no mercado do Município da Vila de Ulónguè, o que poderá contribuir para a melhoria da dieta alimentar da população local.

“Para o consumo familiar já fabrico queijo e hambúrguer. Tenho um hotel aqui em Ulónguè e já coloquei à disposição dos clientes que reagiram positivamente, o que me leva a pensar em produzir em grandes quantidades e colocar no mercado”, destacou.

Na ocasião, Teresa Luís, afirmou que esta a fazer tudo a seu alcance para melhorar o aproveitamento da capacidade instalada, actualmente estimada em 200 litros semanais.

A interlocutora disse que tenciona, ainda este ano, abrir um posto de venda do seu produto na cidade de Tete, para facilitar a expansão do seu negócio e permitir o acesso regular aos seus produtos por parte dos seus clientes na capital provincial.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Related Posts

error: Content is protected !!