Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Tensão sectária cresce no Iraque e ataques matam mais de 40 pessoas

Várias explosões e ataques armados mataram mais de 40 pessoas em vários lugares do Iraque, Terça-feira (21),, um dia depois do registo de mais de 70 mortes em ataques contra a maioria xiita, num cenário que motiva temores de uma guerra civil sectária deles contra os sunitas.

Quase 300 pessoas foram mortas na última semana pelas tensões sectárias, alimentadas pela guerra civil da vizinha Síria. Dez anos depois da invasão norte-americana que derrubou o regime sunita de Saddam Hussein, os principais grupos nacionais – xiitas, sunitas e curdos – são incapazes de formar uma coligação estável para governar o país.

No pior incidente da Terça-feira, um carro-bomba explodiu perto de uma mesquita sunita no bairro de Abu Ghraib, na zona oeste de Bagdad, matando 11 pessoas e ferindo 21, segundo fontes médicas e policiais. Outra bomba explodiu em frente a um bar no bairro de Doura (zona sul), deixando mais 6 mortos e 18 feridos.

Na província de Diyala (nordeste), bombas e tiroteios mataram pelo menos oito pessoas, incluindo dois policiais. Em Kanaan, também a nordeste de Bagdad, duas bombas em calçadas explodiram em rápida sucessão, matando 3 pessoas. No norte do país, três bombas explodiram perto de um mercado de animais vivos na cidade etnicamente mista de Kirkuk.

Seis pessoas morreram, e o local ficou cheio de pedaços de corpos de pessoas e animais. Mahmoud Jumaa, que teve um primo morto no atentado, parecia intrigado com o carácter aleatório do ataque.

“Ouví as explosões, mas nunca achei que esse lugar seria atacado, uma vez que os animais não têm nada a ver com a política, nada a ver com seitas, nada a ver com etnia ou religião”, disse ele. Kirkuk fica numa região rica em petróleo, reivindicada tanto pelo governo central dominado pelos xiitas quanto pelos curdos, que controlam uma região autónoma no norte iraquiano.

Na localidade de Tuz Khurmato, também na área disputada, dois carros-bomba mataram três pessoas num bairro residencial. Ao norte de Bagdad, um homem-bomba matou três soldados num posto de controle de Tarmiya, segundo fontes médicas e policiais, e em Khalis pistoleiros invadiram uma casa e mataram um casal sunita.

Os sunitas iraquianos protestam desde Dezembro contra supostas discriminações cometidas pelo governo do premeiro-ministro xiita Nuri al Maliki, despertando temores de que o país volte à situação de 2006/2007, quando o conflito sectário chegou ao auge, superando em alguns momentos os 3.000 mortos por mês.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!