Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Temor por finanças na Eurozona derruba as Bolsas

Os temores pela situação financeira de países da zona euro e as inquietações com os números do emprego nos Estados Unidos provocaram fortes baixas esta sexta-feira nas Bolsas asiáticas, assim como aconteceu na véspera em Wall Street, e novas quedas no início das sessões europeias.

No meio da manhã, o índice Footsie 100 de Londres perdia 1,08%, após uma queda de 2,17% na quinta-feira. O Dax 30 de Frankfurt retrocedia 0,61% (-2,45% na véspera) e em Paris o CAC 40 cedia 1,14% (-2,75% na quinta). Madri, que desabou 5,94% na sessão anterior, iniciou o dia em baixa de 3,17%, mas conseguiu limitar as perdas a 1,96% após alguns minutos.

A Espanha é, ao lado da Grécia e de Portugal, um dos países da Eurozona que provoca mais inquietações nos mercados pelas finanças públicas. A Bolsa de Lisboa perdia 2,60%. O euro permanecia em queda em relação ao dólar, com a menor cotação desde maio de 2009, a 1,3648 unidade. Na Ásia, as Bolsas foram afetadas pelo nervosismo dos investidores.

Tóquio perdeu 2,78%, Hong Kong 3,33%, Seul 3,05%, Xangai 1,87% e Sydney 2,32%. “As inquietações são mundiais, o sentimento dos investidores está marcado pelos problemas da dívida da Grécia, Espanha e Portugal”, explicou Marcus Droga, diretor associado da Macquarie Private Wealth em Sydney.

Os analistas estão inquietos com o estado das finanças públicas de Espanha e Portugal, tomando como base o caso da Grécia, cujo déficit e dívidas públicas chegaram a um ponto tão ruim que fez com que a Comissão Europeia praticamente colocasse o países em tutela.

Em Nova York, na quinta-feira, os índices voltaram aos níveis de novembro, com o Dow Jones em baixa de 2,61% e a Nasdaq de 2,99%. A América Latina também foi afetada, com baixas de 4,73% em São Paulo, 2,18% no México, 3,81% em Buenos Aires e 2% em Santiago. Além dos problema da dívida na Europa, os investidores ficaram abalados com o anúncio de uma alta inesperada alza do número de novos desempregados nos Estados Unidos, 480.000 na semana passada.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!