Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Taça CAF: Liga Muçulmana a caminho de Lubumbachi

A Liga Desportiva Muçulmana de Maputo deixa a capital do país, nesta sexta-feira (17), a caminho de Lubumbachi, República Democrática de Congo, a fim de defrontar o TP Mazembe no próximo domingo (19). O jogo é referente à primeira “mão” dos play-offs de acesso à Taça CAF.

A equipa representante de Moçambique vai ao jogo desfalcada, por não poder contar com o extremo Josimar e o guarda-redes Caio, ora castigados por terem visto duas cartolinas amarelas nesta eliminatória, ainda, sem Ziqo e Reginaldo, lesionados. Todavia, Litos, técnico principal da Liga Muçulmana, convocou Simplex, guarda-redes emprestado ao Ferroviário de Nampula, para defender as balizas moçambicanas visto que este está inscrito na CAF.

Em breve conversa com o @Verdade, o técnico principal dos muçulmanos começou por reconhecer a grandeza do seu adversário, o TP Mazembe, ao dizer que “é algo que temos de levar em consideração” todavia, “isso não nos pode amedrontar. Eles não são seres extra-terrestres, são tão jogadores quanto aos da Liga, apesar da experiência nestas competições e do dinheiro que têm”.

“Temos de encarar este jogo de igual para igual” fundamentou.

Litos, não deixou também de alertar para o que considera de arbitragem tendenciosa, que, na sua óptica, poderá manchar o espectáculo de futebol que se espera em Lubumbachi, em claro favorecimento ao TP Mazembe. “Vimos o que aconteceu ao Orlando Pirates (na última eliminatória de acesso à Liga dos Campeões) em que a equipa de arbitragem tentou, a vários níveis, favorecer o TP na sua casa. Temos de estar acautelados mas também dispostos a marcar golos” disse.

No que diz respeito às estratégias montadas durante a semana para o jogo, o @Verdade soube que Litos recebeu, na última segunda-feira (15), do presidente do clube, Rafik Sidat, um DVD contendo os dois últimos jogos do TP Mazembe contra o Orlando Pirates, bem como um documento com toda a informação técnica e táctica daquela equipa da República Democrática de Congo.

Aliás, foi também com base nas informações recebidas que a sua equipa preparou-se. No que diz respeito à equipa de arbitragem, a CAF nomeou um quarteto liderado pelo ruandês Hudu Manyemana, coadjuvado pelos seus compatriotas Simba Onore e Ndagjmana Theogue, sendo Hakizamana Louis também da Ruanda, o quarto árbitro.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!