Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Surgem 130 novas indústrias em Moçambique

Um total de 130 indústrias de grande, média e pequena dimensões surgiram em Moçambique ao longo dos últimos cinco anos, segundo informações reveladas hoje, em Maputo, pelo Director Nacional da Indústria, Sidónio dos Santos.

Estas novas indústrias, que operam nos sectores de agro-indústria, metalomecânica, cereais e mobiliários, representam um investimento de mais de 70 milhões de Dólares Norte-americanos. De acordo com Santos, o surgimento de novas indústrias é resultado de medidas adoptadas pelo Governo no sentido de desenvolvimento da indústria no país, sobretudo nas áreas em que Moçambique tem vantagens competitivas. Ele considerou, na ocasião, que a implementação da Estratégia para a Melhoria do Ambiente de Negócios e outros instrumentos sectoriais deram novo alento e dinamismo no desenvolvimento industrial.

“Ao longo dos últimos cinco anos surgiram em Moçambique 130 novas indústrias, das quais sete são de grande dimensão, 11 médias e 112 pequenas. Estas novas indústrias estão localizadas ao longo dos corredores de desenvolvimento do país e operam nos sectores de agroindústria, mobiliário, metalomecânica e cereais”, disse. Santos fez estes pronunciamentos numa conferência de imprensa convocada no âmbito da 45ª edição da Feira Internacional de Maputo (FACIM) iniciada na última Segunda-feira e que serviu para fazer o balanço do quinquénio que está prestes a terminar.

No sentido de desenvolver a indústria em Moçambique, o Governo reformulou a Política e Estratégia Industrial aprovada em Julho de 2007, a Estratégia de Desenvolvimento do sector Têxtil de Confecções (2008). Por outro lado, o Governo elaborou instrumentos para a revitalização de empresas, como a elaboração da estratégia para o desenvolvimento do sector metalomecânico.

A Política e estratégia Industrial define como prioridades o desenvolvimento do sub-sector de máquinas e alfaias agrícolas, a manutenção industrial para o fornecimento de serviços as medias e grandes empresas e o mobiliário metálico, de modo a resgatar a produção nacional de mobiliário de hospitais, escolas, escritórios de serviços públicos e privados.

“Estamos também a implementar o Diploma Ministerial que aprova o regime aduaneiro para a indústria transformadora, que tem forte impacto na redução dos custos de produção industrial. Temos neste momento 76 empresas que já se beneficiaram de isenção”, referiu. As medidas adoptadas pelo Governo para desenvolver a indústria nacional criaram um ambiente de confiança dos empreendimentos já instalados no país, que decidiram reinvestir para aumentar a sua produtividade e consequentemente garantir a sua competitividade.

Trata-se da MEREC, que opera na moagem de cereais, que investiu cinco milhões USD, Socimol, moagem de cereais e produção de massas e bolachas, 10 milhões USD, Companhia Industrial da Matola, produção de bolachas e de rações, 2.5 milhões USD, Cervejas de Moçambique, 12.6 milhões USD. Todas elas funcionam em Maputo. O director revelou que a fábrica Alif Química, que opera na província central da Zambézia, na refinação de óleo alimentar, prensagem de sementes de algodão para extracção de óleo alimentar e bagaço para rações, fez um investimento de três milhões USD para aumentar a sua capacidade de produção.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!