Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

SIDA tende a feminizar-se

O mundo reflecte, esta quarta-feira, portanto 1 de Dezembro, a questão do HIV/SIDA, uma doença que até hoje, não tem cura. No país, há esforços com tendência de baixar os índices de contaminação da doença. Há muitas organizações nacionais assim como estrangeiras que dizem estarem a trabalhar nesta área. Claro, cada uma com sua politica que em alguns casos nem sequer chega a fazer o básico. No final de cada projecto, imensos relatórios e os números também são elevados de que foram apoiadas um número de “X” de pessoas, mas no terreno as coisas estão totalmente contrárias.

E o resultado é este, no nosso país, 11,5 porcento da população entre os 11 e os 49 anos está infectada pelo HIV/SIDA, segundo o Inquérito Nacional de Prevalência, Riscos Comportamentais e Informação sobre o HIV/SIDA em Moçambique (INSIDA- 2009). Este inquérito incidiu sobre as amostras de sangue de 16.597 inquiridos de todo pais, com idades entre os 0 e os 64 anos que decorreu de Junho a Outubro de 2009.

O mesmo inquérito apurou que a faixa etária mais infectada pelo SIDA está no intervalo dos 11 e os 49 anos. A feminização do SIDA na Zambézia A província da Zambézia, situa-se no centro do país, cuja população ronda em cerca de 4 milhões de habitantes. As mulheres são a maioria, dai que também a SIDA tem esta tendência de feminizar-se. O mesmo documento que temos vindo a fazer referência sublinha que as mulheres e jovens desta parcela do país, apresentam taxas de prevalência muito altas, sendo 15.3 % nas mulheres e 8.9 % nos homens.

As mulheres e homens jovens residentes em áreas urbanas estão mais susceptíveis “a infecção, comparativamente aos jovens residentes em áreas rurais. E aqui pode-se ver em termos de números. Jovens das cidades (10,1 enquanto que os das zonas rurais estão em 6,4%), respectivamente. Mais uma flagelo que coroe população da Zambézia Se por um lado é a pobreza que tende a aumentar na província da Zambézia, por outro é o SIDA que tem a tendência de corroer a população desta parcela do país. Isto também reflecte-se em todos sectores e fundamentalmente a faixa dos 11 aos 24 anos de idade, que são o garante do país.

Verifica-se uma fragilização das estruturas familiares, devido a pressão criada pelos cuidados e apoio que tem de ser proporcionados a um número crescente de pessoas debitadas e/ou aos órfãos devido ao SIDA. Na província da Zambézia, todos distritos tem a cobertura em 100% nos serviços de Tratamento Anti- Retroviral. Este ano foram inscritas 88.787 pessoas contra 67.840 do ano passado, portanto, 2009. Isto revela que houve uma evolução de 31%.

Destes todos, 5.984 são crianças menores de 15 anos de idade. Mesmo com estes dados todos, a a sociedade civil nesta parcela do país, diz os esforços que vêm sendo empreendidos estão a surtir efeitos desejados, visto que a taxa de seroprevalência nacional é de 11.5%. Dai que toda gente é chamada para juntar esforços na mitigação desta doença.

Alias, o lema deste ano é “Reafirmando a nossa moçambicanidade na luta contra o Sida, promovendo um comportamento mais responsável”. E as cerimónias centrais na província da Zambézia, acontecem em Mocuba, onde está a Primeira Dama do nosso país, Maria da Luz Guebuza.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!