Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Sete moçambicanos vítimas do acidente de Kwazulu-Natal

Sete das mais de 30 vítimas resultantes do acidente de viação ocorrido a 23 de Dezembro na província sul-africana de KwaZulu-Natal são cidadãos moçambicanos radicados naquele país vizinho.

 

 

Deste saldo negativo, constam dois mortos e cinco feridos, todos moçambicanos que na altura do sinistro seguiam com destino ao seu país para passar o Natal e o fim de ano junto das suas famílias, segundo disse o delegado do Ministério moçambicano do Trabalho na África do Sul, Custódio Cuna.

No total, este acidente resultou na morte de 16 pessoas no local do sinistro, incluindo todos os passageiros de uma minibus que seguia de Jozini a Empangeni. O número de vítimas mortais subiu para 20 ainda no mesmo dia.

Citado pelo jornal “Notícias” da quinta-feira, Custódio Cuna disse que entre os 18 feridos no sinistro, cinco são moçambicanos, incluindo um bebé de seis meses de idade, cuja mãe pereceu no acidente. A criança encontra-se sob cuidados médicos num hospital sulafricano.

Segundo a fonte, os moçambicanos mortos neste acidente são Mariana Uate, do bairro da Polana-Caniço, arredores de Maputo, e Rafael Tovela, de que ainda não se sabe sobre o seu local de residência.

Cuna disse que os corpos das duas vítimas já foram reclamados pelas respectivas famílias, estando em curso os processos necessários para a sua transladação para Moçambique.

Este acidente de viação aconteceu na tarde do dia 23 em Mtubatuba, KwaZulu- Natal, quando duas viaturas se embateram frontalmente numa altura em que uma delas seguia de Durban com destino a Moçambique e a outra de Jozini a Empangeni. Até agora, a Polícia sul-africana está a investigar as possíveis causas deste sinistro rodoviário.

Enquanto isso, a Trans African Concessions (TRAC), empresa concessionária da estrada Maputo/Witbank (N4), alerta sobre a necessidade de os utentes daquela via adoptarem uma postura responsável na condução.

A TRAC recorda que o mau estado das viaturas e a condução negligente têm sido as principais causas de acidentes naquela rodovia.

Os dados da TRAC indicam o registo de 122 acidentes de viação ao longo daquela rodovia só em Novembro passado, na sua maioria originados pelo rebentamento de pneus, perda de controlo dos condutores, excesso de velocidade, condução negligente, ultrapassagens irregulares, manobras perigosas, entre outras infracções.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!