Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Serviços de saúde continuarão prestar assistência gratuita

O Ministro da Saúde afirmou, em Nampula, que as unidades hospitalares públicas do país continuarão a prestar assistência gratuita aos pacientes, independentemente do seu extracto social, para além de criar condições para que os serviços prestados sejam de qualidade.

Ivo Garrido sublinhou que o acesso gratuito aos serviços de saúde é um direito de todo o cidadão moçambicano e cuja responsabilidade é da competência ao governo. O cidadão quando vai ao hospital não está à procura de favores, mas sim reclamar o usufruto do seu direito, que deve ser satisfeito. Por isso, exigimos que os nossos funcionários tratem os doentes com paciência e carinho.

Recomendou o ministro, observando que 90 por cento de cura de doentes internados nas unidades sanitárias do país tem haver com a atitude solidária e humana dos funcionários em serviço, cujo investimento é insuperável. Ao governo, cabe melhorar as condições das infra-estruturas, enquanto que o funcionário tem a responsabilidade de melhorar as condições de tratamento dos doentes. Anotou Garrido, que falava à margem da inauguração do novo serviço de Urgência da Pediatria do Hospital Central de Nampula.

Entretanto, o ministro da Saúde reconheceu que o seu sector em Nampula enfrenta vários problemas devido ao elevado número da população da província, estimada quatro milhões de habitantes, mas garantiu que a situação irá ser invertida a breve trecho.

Intervindo, na ocasião, Felismino Tocoli, governador da província de Nampula, congratulou-se com a entrada em funcionamento daquela infra-estrutura, destacando a sua importância na minimização de alguns constrangimentos e consequente melhoria na prestação de serviços às crianças que afluem àquele local, frisando que a saúde delas figura no rol das prioridades do governo. Afirmou reconhecer que os novos serviços não irão solucionar em absoluto os problemas existentes, mas vão, certamente, atenuá-los substancialmente.

Com esta inauguração, vai deixar, por exemplo, de haver problemas de falta de camas, que chegavam a ser ocupadas por três crianças, além das respectivas mães ou parentes acompanhantes. porque a saúde da criança, consta, no rol das nossas prioridades. Disse Tocoli. De salientar que os serviços de pediatria do HCN dispõe agora de oitenta camas, trinta das quais na urgência e cinquenta nas enfermarias.

Além de uma sala de tratamento, laboratório, gabinete para os médicos em serviço e outro pessoal técnico. As obras de reabilitação e respectivo apetrechamento contaram com o financiamento do Banco Comercial de Investimento, no valor de 150 mil dólares americanos.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!