Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Senhora sequestrada na última quinta-feira em Maputo foge do cativeiro

A esposa do proprietário da fábrica de gelo, sequestrada na última quinta feira-feira (24), no bairro da Malanga, na capital moçambicana, fugiu do cativeiro, no bairro Bunhiça, no posto administrativo da Machava, no município da Matola, após ludibriar os sequestradores.

Na história das vítimas de sequestro, este é um caso sui generis. A senhora, cujo não foi revelado por razões de segurança, contou à Polícia foi autorizada para ir tomar banho e aproveitou o momento para escalar o muro do cativeiro.

Na altura, ela foi dar numa casa vizinha do local onde estava trancada, tendo os donos da residência lhe indicado uma unidade policial mais próxima para fazer a denúncia. Entretanto, quando os agentes da Lei e Ordem chegaram ao sítio nenhum raptor estava lá. Apenas foram detidos três jovens, dos quais uma mulher, supostamente contratados para vigiar a vítima.

O escritor moçambicano Mia Couto disse que a crescente onda de sequestros, sobretudo na cidade de Maputo, nos últimos dias, está a causar um sentimento de desproteção e desamparo nos moçambicanos, pois estão viver um fenómeno nunca visto nos últimos vinte anos de paz.

Entretanto, os jovens indiciados de rapto da senhora em causa, narraram que não estão envolvidos em nenhum sequestro, apenas foram contratados para vigiar a casa e não sabiam que ali eram mantidas em cativeiro pessoas raptadas. Aliás, os jovens afirmaram ainda que nem sequer viram a senhora a causa.

No local, a Polícia encontrou duas metralhadoras do tipo AKM e as respectivas munições. Um dos jovens que disse estava no lugar do crime porque a sua ex-namorada pediu que o ajudasse a arranjar uma casa para arrendar, tendo aceite por saber que o seu amigo tinha uma. Ele somente facilitou o contacto entre a ex-parceira e o amigo, porém, não sabe o que depois.

Outro jovem, supostamente proprietário da residência arrendada, disse que não sabia que a mesma seria usada para servir de cativeiro nem sequer desconfiou. A progenitora da jovem disse que a sua filha saiu de casa na noite de sábado passado alegadamente para a África do Sul a fim de visitar familiares.

O director da Ordem no Comando-Geral da Policia da República de Moçambique (PRM), Xavier Tocoli, acredita que os três jovens são integrantes do bando que tem estado a sequestrar pessoas em Maputo.

Facebook
Twitter
LinkedIn
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!