Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Segundo Edson Macuácua da Frelimo – Victória de 2008 é prenúncio para sucesso em 2009

O Secretário para a Mobilização e Propaganda da Frelimo, Edson Macuácua, considerou, falando em exclusivo ao nosso Jiornal, que a virtual vitória da Frelimo nas eleições autárquicas realizadas a 19 de Novembro do ano corrente, reveste-se de um significado político especial, pois os resultados parciais a demonstrarem que o seu partido poderá ganhar em “todas” autarquias, “é o prenúncio da vitória da Frelimo e do Presidente Armando Emílio Gebuza nas eleições de 2009”.

Muito emocionado Macuácua disse que o evento marcou um voto de confiança do eleitorado ao Presidente Guebuza, a quem considerou ter uma liderança sábia e clarividente nos destinos do País. “Isto significa que o paradigma de governação do Presidente Guebuza foi ao encontro das expectativas dos cidadãos”, sublinhou.

Macuácua considerou igualmente que a visivel vitória nas autárquicas como “fruto de um trabalho árduo, sistemático e de base, realizado com convicção e determinação pelos orgãos do partido, seus militantes, brigadas de trabalho a todos os níveis”. Questionado se esta vitória não tem ligação com um “golpe” relacionado com a injecção dos 7 milhões aos distritos, bem como a “Presidencia Aberta” de Guebuza que em alguns quadrantes são vistos como prosseguimento tácito de uma campanha, após a sua vitória em 2004, o nosso interlocutor foi peremptório em afirmar que, “tudo isto inclui a presidência aberta e inclusiva, a descentralização e desconzentração de competências e recursos, sobretudo da marcha da luta contra a pobreza, que se traduz na revolução verde, produção de mais comida, criação de mais postos de trabalho, combate ao burocratismo, corrupção e espírito de deixa andar, e na promoção da auto-estima”.

A uma pergunta sobre o seu posicionamento e do seu partido sobre um novo conceito de avaliação de pleitos eleitorais, que está a ganhar certo apologismo em círculos da sociedade civil, quando se pretende dizer eleições limpas, ao invés de justas, livres e traparentes, Macuácua foi claro que não está preocupado com adjectivos e conceitos, porque no seu entender “o importante é que o processo corra segundo a lei, as normas e as regras estabelecidas, por isso saudamos ao povo, pela forma cívica e ordeira como participou nio processo eleitoral, tendo demonstrado um elevado nível de maturidade política e consciência cívica no processo eleitoral”.

Finalmente Edson Macuácua considerou que a CNE e o STAE a todos os níveis, e outros intervenientes no processo, merecem um elogio especial “pela forma como prepararam, organizaram e realizaram o processo eleitoral, o que contribuiu para que tal como nos anteriores, fosse transparente livre e justo”.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!