Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Sector privado satisfeito com desempenho dos Governos regionais

O vice-presidente da Confederação das Associações Económicas de Moçambique (CTA), Rogério Manuel, afirmou que a sua agremiação está satisfeita com o desempenho dos Governos regionais Sul em relação às preocupações apresentadas pelos empresários em ocasiões anteriores.

Na conferência de imprensa que marcou o fim da IV Conferência Anual do Sector Privado da Região Sul, que decorreu na vila turística de Vilankulo, referiu que em termos de comunicação, o sector privado é que teve maior défice que os governos que “sempre nos forneceram atempadamente as informações sobre todos os acontecimentos relacionados com a actividade empresarial, com destaque para do sector privado”.

Num tom reconciliador com os Executivos regionais, sublinhou que o sector privado está bastante satisfeito e não tem razões para queixas, tendo realçado na ocasião que “as recomendações de Namaacha foram satisfeitas em cerca 90 por cento. Durante a conferência de imprensa, Rogério Manuel salientou que com a criação dos Conselhos Empresariais Provinciais (CEPs), se espera que seja facilitado o diálogo entre o sector privado e os governos locais, acrescentando que as questões que os CEPs vão trazer ao debate da agremiação são aquelas que estes sentem na pele e não a agenda normalmente feita a nível central que muitas das vezes, não reflecte a vida dos empresários a diversos níveis.

Por seu turno, o Governador da província de Inhambane, Francisco Itai Meque, disse que a preocupações demonstradas pelos governos das províncias de Inhambane, Gaza, Maputo e Maputo-cidade na procura de soluções para os problemas do sector privado, se enquadra no leque dos trabalhos plasmados no programa de governação deste país. Acrescentou que sempre foi preocupação do Executivo moçambicano em geral e regional em particular em ver o este sector a prosperar os seus negócios. Fazendo uma avaliação das recomendações de Namaacha, Itai Meque afirmou apesar de muitas melhorias registadas, “há aspectos que precisam de serem melhorados, com destaque para o tratamento que é dado aos turistas pela Polícia da República de Moçambique, não no sentido desta deixar de fazer o seu trabalho, mas de modo a fazer com mais disciplina”, frisou.

Durante a IV conferência, o Governador de Inhambane anunciou a existência de um fundo de cerca de 19 milhões de dólares para actividade empresarial daquela província, sublinhando que os projectos abrangidos pelo referido fundo vão ser desenvolvidos em alguns distritos com destaque para Mabote e Govuro. Referiu que o Governo central já disponibilizou este valor e a nível local está a ser desenvolvido trabalhos relacionados com a contratação do gestor, realçando que “os dezanove milhões de dólares vão ser geridos em Inhambane porque é neste ponto onde os projectos vão ter lugar”.

De acordo com Itai Meque, depois vai seguir a fase de aquisição de equipamentos para o desenvolvimento dos regadios, infra-estruturas que terão um peso considerável nos projectos a serem desenvolvidos a partir daquele fundo, com vista a enriquecer a produção de alimentos, sendo a maior preocupação do governo, “o enquadramento dos pequenos agricultores, pois se trata de dois mil hectares”. Para Meque, o trabalho nos regadios vai consistir no aproveitamento da água a partir da retenção daquele precioso líquido dos rios que banham a província.

O Governador da província de Gaza, Raimundo Diomba, aproveitou a ocasião para anunciar a iniciativa do seu executivo de construir o aeroporto provincial, afirmando que as populações locais estão ansiosas em ver erguido aquele tipo de infra-estruturas com vista a presenciar a partida e chegada de voos a partir de Gaza. Para a concretização deste sonho, referiu, o Governo da província e a CTA, vão continuar a trabalhar em conjunto.

O governo local está a fazer um trabalho em conjunto com o Ministério dos Transportes e Comunicações (MTC) e a empresa Aeroportos de Moçambique (ADM), que culminou com o lançamento de um concurso que tem em vista o estudo do local onde poderá ser implantado o aeroporto, salientando que existem dois terrenos disponíveis, “dependendo o início das obras dos resultados do estudo e da disponibilidade do respectivo valor”. Quanto ao projecto da construção da estrada Mapinhanhane/ Pafúri, Diomba apenas disse, “não há nada, apenas vontade” dos moçambicanos que trabalham no exterior do país quegostariam de ver a República de África do Sul ligada a Gaza e Inhambane através daquele troço que se encontram em avançado estado de degradação.

Referiu que o grupo de compatriotas nossos que manifestaram a intenção por escrito, prontificaram a mobilizar recursos para efeitos. Se este sonho for concretizado segundo Diomba, a via vai permitir o incremento de receitas por via do turismo. Para Telmina Pereira, Governadora da província de Maputo, a estrada iria permitir o descongestionamento das estradas da capital do país por parte dos automobilistas que passam pela província e cidade de Maputo, a pretenderem chegar às províncias de Gaza e Inhambane, para além da região Centro e Norte do País.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!