Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Sector pesqueiro com mais recursos

O sector pesqueiro em Moçambique vai beneficiar, nos próximos sete anos, de um investimento de 43.5 milhões de dólares norte americanos com objectivo de promover a produção e venda de pescado com maior valor comercial.

Trata-se de recursos que serão disponibilizados pelo Governo e seus parceiros, no âmbito do Projecto de Produção da Pesca Artesanal (PROPESCA) que tem em vista dar maior dinâmica à pesca de pequena escala no país.

O PROPESCA vai concentrar esforços nalguns pontos chamados pólos de desenvolvimento ao longo da costa que, ao nível da sua área de jurisdição, contemplam as zonas de Chiloane, no distrito de Machanga, Nova-Sofala, no Búzi, Casa-Partida, nos arredores da cidade da Beira, e Sambazhó, em Muanza, bem como toda a zona costeira do norte ao sul.

O mesmo será lançado na próxima sexta-feira na cidade da Beira, província de Sofala, centro do país. Segundo o vice-ministro das Pescas, Gabriel Muthisse, o projecto tem como objectivo impulsionar a comercialização da pesca de pequena escala e incentivar os pescadores a adoptarem práticas de execução e gestão que garantam maior rentabilidade da actividade.

“O projecto tem o objectivo de melhorar os rendimentos e as condições de vida dos pescadores e seus familiares que dependem da pesca artesanal, e este objectivo será alcançado através do aumento da quantidade de pescado capturado e do valor da produção comercializada. Para o efeito serão realizadas actividades ao longo da cadeia de valor”, disse.

O projecto vai prestar maior atenção para desenvolvimento de infra-estruturas, implementação de novas tecnologias para o aumento da capacidade de captura de pescado e expansão do acesso à banca por parte dos pescadores.

Assim, os pescadores serão apresentados às novas tecnologias e metodologias de pesca e capacitados para utilizar estas novas ferramentas que deverão contribuir para o incremento da sua produção e produtividade.

Com a melhoria das infra-estruturas económicas, segundo Muthisse, o objectivo é alargar o acesso às zonas de grande potencial. Por outro lado, o PROPESCA vai impulsionar a facilitação do acesso ao financiamento com vista a alargar os recursos que vão ao sector pesqueiro.

Muthisse explicou que, neste momento, a maior parte dos recursos que vão para este sector são públicos, incluindo aqueles que são disponibilizados pelas instituições de micro-finanças.

“Com este programa, queremos atrair e incentivar os bancos comerciais e as instituições de micro-finanças a participarem no financiamento do sector pesqueiro com recursos próprios”, referiu.

Os recursos para este projecto são disponibilizados pelo Governo moçambicano, Fundo Internacional de Desenvolvimento Agrícola (FIDA), Fundo Fiduciário Espanhol, Fundo da OPEP para o Desenvolvimento Internacional (OFID) e outros.

Neste momento, estima-se que cerca de 300 mil pescadores e correlativos (pessoas que vivem indirectamente da actividade) estão envolvidos na pesca artesanal, sector que contribui com 85 por cento da produção global de pescado em Moçambique.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!