Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Rússia responde a Trump que nunca vai devolver Crimeia à Ucrânia

A Rússia nunca vai devolver a Crimeia à Ucrânia porque é seu território soberano, afirmou o Ministério dos Negócios Estrangeiros russo em resposta às declarações da Casa Branca, que afirmou que o Presidente norte-americano, Donald Trump, espera a devolução dessa península a Kiev.

“Nós não devolvemos os nossos territórios. A Crimeia é território da Federação da Rússia”, afirmou em conferência de imprensa a porta-voz da Chancelaria russa, María Zakharova.

O porta-voz da Casa Branca, Sean Spicer, declarou que Trump mantém uma “dura” posição sobre o conflito ucraniano e “espera da Rússia a sua cooperação para diminuir a tensão na Ucrânia e a devolução da Crimeia”.

O porta-voz do Kremlin, Dmitri Peskov, afirmou que a soberania da Rússia sobre a Crimeia nem sequer se pode discutir, “porque a Rússia não discute os assuntos do seu território com os parceiros estrangeiros”.

Peskov lembrou também que o assunto da Crimeia não foi tratado na conversa telefónica mantida recentemente por Trump e o presidente russo, Vladimir Putin.

Moscovo espera que quando se recupere o bom clima nas relações com Washington, a Rússia “terá a oportunidade de explicar aos parceiros americanos, com tranquilidade e de forma construtiva, os seus argumentos” sobre a anexação da Crimeia.

“O Presidente (Putin) explica com paciência e de forma consequente o golpe de Estado na Ucrânia” que levou os cidadãos da Crimeia a solicitar a sua entrada na Rússia, apontou Peskov. A 16 de Março de 2014, há quase três anos, a Crimeia realizou um referendo, não reconhecido por Kiev nem pela comunidade internacional, no qual quase 97% dos eleitores disse sim à reunificação com a Rússia.

Após consumar a anexação de território ucraniano, o Kremlin apoiou os separatistas pró-Rússia do leste da Ucrânia insurgentes contra Kiev, decisão que lhe custou duras sanções económicas do Ocidente, com o qual atravessa actualmente o pior momento nas relações desde a Guerra Fria.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!