Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Roubam, catanam e até violam sexualmente as vítimas

Nos últimos tempos, não há noite que passa sem que hajam relatos de roubo ou assalto a residências, ou mesmo violação sexual. Os malfeitores parecem terem tomado conta da cidade de Quelimane, ao avaliar pelos raides que têm vindo a fazer.

Gente de todos bairros clama por socorro quase todos dias, mas ninguém lhes dá ouvido. Agora não é fácil apanhar sono na sua casa. Mesmo que o sono não venha, os amigos do alheio, não querem saber se o dono de casa está ou não a dormir. Pelos relatos que temos vindo a ter é que estes malfeitores andam em número de cinco ou mesmo dez e se não levam consigo catanas então tem pelomenos uma arma de fogo.

No último sábado, numa das residências ali mesmo ao pé da extinta MECANAGRO, um grupo de oito bandidos interpelaram uma jovem dos seus vinte e oito anos por volta das 4horas e fizeram na de refém.

A jovem, conforme aquilo que apuramos no local, estava prestes a viajar ao distrito da Maganja da Costa. E, por volta das 4 horas, saiu, a procura dos famosos táxis de bicicleta para lhe transportarem até a estacão para poder apanhar o transporte até ao seu destino.

Contam familiares que, como já estava a clarear, ninguém pôs em conta os riscos. Quando ela conseguiu um táxi bem próximo, regressou com este até a sua casa. Mas de repente viu dois homens mascarados que lhe pegaram, exigindo que ele desse dinheiro ou amostrasse a sua casa.

Sem forças para desafiar aquele bando de criminosos, ela cedeu e entrou com os dois dentro de casa onde a sua avó de idade avançada se encontrava sentada, pensando que a sua neta havia conseguido o transporte para Maganja. Nesta altura, outros três estavam a tentar apagar as lâmpadas que estavam acesas enquanto que outros estavam de vigia.

Mesmo depois de saquearem tudo dentro de casa dentre os telefones, aparelhos como DVD, televisores, dinheiro, os malfeitores exigiram que a vítima fizesse sexo com todos, por casos resistisse então, aquele dia seria o fim dela. Tudo isso na presença da sua avó, que só ficou a olhar e ouvir estas barbaridades de jovens que nem dom muito menos piedade tem.

Um deles, conforme soubemos, conhecia bem a família e sugeriu que abandonassem o local visto também que estava a ficar claro e todo cuidado era pouco.

Abandonaram o local junto da vítima e lá a frente foram violar sexualmente e de seguida abandonaram-na numa das valas ao pé da Moagem Estrela, para quem conhece a cidade de Quelimane.

Este é mais um caso no meio de tantos outros que nos últimos dias, não deixam os munícipes de Quelimane descansado.

Vamos parar aonde?

“Em Quelimane está-se mal, bandidos são demais, a vida é uma luta…” É assim que tentamos trazer a letra da música dos jovens Bokl, artistas desta praça que relatam o dia a dia dos munícipes, no que tange ao crime em Quelimane. De facto não se sabe onde vamos parar, porque quando se recorre a polícia, muitas vezes esta não dá resposta atempada.

Se dá então, meia volta é o ministério Público que solta os supostos criminosos alegando insuficiência de provas, mesmo quando encontrados em flagrante delito. A população já não tem esperança porque agora quando chega a noite, os corações “ficam nas mãos” e não há segurança nenhuma.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!