Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Rossi perde lugar no pódio na última curva, e Pedrosa vence na Alemanha

As atenções estavam todas voltadas para o piloto na quinta posição do grid de partida do GP da Alemanha de MotoGP. Afinal, Sachsenring marcaria o retorno de Valentino Rossi, quatro corridas e pouco mais de um mês após a violenta queda que causou uma fratura exposta na sua perna direita. Após uma bela corrida, o Doutor travou um intenso duelo com Casey Stoner, da Ducati, assumiu o terceiro posto, mas foi superado na última curva e acabou em quarto. A vitória ficou com Dani Pedrosa, da Honda, que ultrapassou Jorge Lorenzo, da Yamaha, na metade da corrida.

Com tempo nublado e grid reduzido, com apenas 16 motos, Sachsenring receberia uma das corridas com mais expectativas dos últimos tempos. Na largada, Pedrosa saltou para a liderança, com Lorenzo em segundo e Stoner em terceiro. Rossi, que largava em quinto, fez mais uma de suas tradicionais saídas más e perdeu duas posições, caindo para sétimo.

Ainda na primeira volta, Lorenzo ultrapassou Pedrosa e recuperou a liderança. O espanhol da Honda, no entanto, não perdeu contato com o compatriota da Yamaha e se manteve na briga pela vitória. Stoner continuava a comboiar os dois rivais, esperando por um erro. Rossi vinha de trás e conseguiu se livrar rapidamente de Marco Simoncelli e Hector Barberá, que o tinham superado na largada.

Com pista livre, o italiano começou a andar rápido e chegou até a marcar a melhor volta da corrida, na perseguição a Dovizioso para tentar chegar à quarta posição. Na nona volta, a corrida foi interrompida por causa de um forte acidente. Randy de Puniet, da Honda LCR, caiu na curva 4. A sua moto acabou atingida por Alvaro Bautista, da Suzuki, e Aleix Espargaró, da Ducati, e começou a pegar fogo. Os três caíram violentamente, mas não chegaram a perder a consciência.

Bautista e Espargaró queriam correr, mas como não retornaram aos boxes em cinco minutos após a bandeira vermelha, tiveram de abandonar a prova. De Puniet foi levado ao centro médico para fazer mais exames, onde foram detectadas fraturas na tíbia e na fíbula esquerdas, contusão semelhante à de Rossi, só que na outra perna.

Após pouco mais de 20 minutos de interrupção, uma nova largada foi autorizada pela direção de prova, sem levar em conta os resultados de antes da bandeira vermelha. Lorenzo caiu para a segunda posição, atrás novamente de Pedrosa. Rossi perdeu o posto para Hayden e ficou em sexto. Rossi recuperou a quinta posição na abertura da segunda volta. Já Lorenzo, na frente, disputou a liderança com Pedrosa e superou com facilidade o compatriota e rival, assumindo novamente o primeiro lugar. Stoner, que caiu para quarto, pressionava insistentemente Dovizioso.

O australiano conseguiu a ultrapassagem no início da quarta passagem, em uma bela manobra na freada para a curva 1. Na sexta volta, após uma bela disputa, Rossi subiu para a quarta posição, após ultrapassar Dovizioso no miolo do circuito. O eneacampeão, no entanto, não conseguia andar no mesmo ritmo de Stoner, o terceiro colocado.

Na frente, Pedrosa pressionava muito Lorenzo. Pedrosa tentou a ultrapassagem na travagem da curva 1 na nona volta. O piloto da Honda chegou a passar para a frente, mas recebeu o troco de Lorenzo, que permaneceu na primeira posição da corrida momentaneamente. Na décima, Pedrosa finalmente superou o rival e assumiu a liderança.

Na 12ª volta, Rossi aproximou-se de Stoner e tentou a ultrapassagem, mas o australiano reagiu e manteve a posição. O italiano completou a manobra três passagens depois e assumiu a terceira posição da corrida. Só que, na 17ª, o australiano deu o troco na luta pelo pódio e recuperou o lugar. Enquanto Pedrosa e Lorenzo cruzavam a linha de chegada com tranquilidade, destacados nas duas primeiras posições, Rossi e Stoner continuavam a lutar pelo terceiro posto.

O italiano assumiu a posição na última volta, mas não resistiu ao assédio do australiano e perdeu o pódio na parte final do circuito, na derradeira passagem. O italiano Andrea Dovizioso, da Honda, foi um dos ultrapassados por Rossi na corrida e terminou em quinto, logo à frente do compatriota Marco Simoncelli, da Gresini, equipe satélite da marca japonesa. O americano Nicky Hayden, da Ducati, ficou apenas no sétimo posto da corrida, seguido por Ben Spies, da Yamaha Tech 3, que completou a lista dos oito primeiros colocados na Alemanha.

Os dez primeiros do GP da Alemanha:

Pos.    Piloto           Equipe

1º Dani Pedrosa (ESP) Honda HRC

2º Jorge Lorenzo (ESP) Yamaha Factory

3º Casey Stoner (AUS) Ducati

4º Valentino Rossi (ITA) Yamaha Factory

5º Andrea Dovizioso (ITA) Honda HRC

6º Marco Simoncelli (ITA) Honda Gresini

7º Nicky Hayden (EUA) Ducati

8º Ben Spies (EUA) Yamaha Tech 3

9º Hector Barbera (ESP) Ducati Aspar

10º Marco Melandri (ITA) Honda Gresini

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!