Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Rompimento de barragem deixa pelo menos oito mortos no Brasil

Pelo menos oito pessoas morreram, 43 ficaram feridas e não há informações sobre o número de desaparecidos após o rompimento de uma barragem de resíduos de uma mineradora nesta quinta-feira no distrito de Bento Rodrigues, em Mariana, no centro do estado brasileiro de Minas Gerais.

O acidente, ocorrido durante a tarde, deixou pelo menos sete mortos no local, segundo o relatório parcial do Corpo de Bombeiros da cidade. Mais uma pessoa morreu no Hospital Monsenhor Horta, em Mariana, para onde foram transferidos 13 feridos, alguns deles em estado grave, segundo informações do centro médico. No local do acidente foram atendidas outras 30 pessoas, de um total de 43 feridos.

O Corpo de Bombeiros de Minas Gerais relatou à Agência Efe que enviou várias equipes ao local do acidente e que, segundo alguns moradores, há muitas pessoas soterradas e ilhadas, mas a corporação evitou confirmar o número de vítimas, de possíveis feridos e de desaparecidos.

O município de Mariana comunicou que o distrito está a ser evacuado devido ao perigo de novos deslizamentos de terra. O Sindicato de Trabalhadores da Indústria de Extracção de Ferro e Metais Básicos de Mariana (Metabase) informou inicialmente que entre 15 e 16 pessoas morreram e outras 45 estariam desaparecidas, mas essa informação não foi confirmada oficialmente. O secretário de Defesa Social de Mariana, Brás Azevedo, qualificou a situação como “extremamente grave”.

O distrito de Bento Rodrigues, que ficou praticamente soterrado pela lama, tinha cerca de 200 casas e abrigava aproximadamente 612 pessoas, segundo dados oficiais de 2012.

A empresa responsável pela barragem emitiu um comunicado no qual assinalou que “não é possível, neste momento, confirmar as causas e extensão do ocorrido, bem como a existência de vítimas”. O promotor Carlos Eduardo Ferreira Pinto, à frente de uma equipe do Ministério Público de Minas Gerais que foi enviada até o local, afirmou que é “prematuro” fazer qualquer conclusão neste momento, mas acrescentou que “uma barragem não se rompe por acaso”.

A barragem de resíduos do complexo industrial é conhecida como Barragem do Fundão, pertence à empresa Samarco e está a 25 quilómetros do centro urbano de Mariana.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!