Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Renamo volta a boicotar revisão da constituição

A bancada parlamentar da Renamo na Assembleia da República (AR), o parlamento moçambicano, ainda se recusa a participar no processo de revisão da Constituição, cuja proposta foi submetida pela Frelimo, partido no poder.

Desde que a bancada parlamentar da Frelimo avançou com a proposta de revisão da Constituição em 2010, a Renamo tem se posicionado contra, alegando não saber as motivações do partido no poder ao propor a revisão da lei mãe.

Assim, a segunda maior bancada do parlamento moçambicano opôs-se a criação da Comissão Ad-Hoc para a Revisão da Constituição da República em 2010 e tem vindo a boicotar todas as sessões destinadas a apreciar e discutir as informações desta comissão.

Quinta-feira, quando o presidente desta comissão, Eduardo Mulembwe, se dirigiu ao pódio para apresentar a informação sobre as suas actividades, todos os deputados da Renamo retiraram-se da sala de sessões. Os deputados da Frelimo voltaram a apelar a Renamo para se juntar a si e a bancada do Movimento Democrático de Moçambique (MDM), a minoritária, neste processo de revisão da Constituição.

Ainda na sessão da Quinta-feira, o parlamento aprovou, na generalidade, a informação relativa ao Processo de Revisão do Código Penal, cuja proposta foi submetida ano passado pelo Governo.

Contudo, o documento passou apenas com os votos favoráveis das bancadas da Frelimo e do MDM, uma vez que a Renamo pautou pela abstenção alegando que a sua proposta de revisão pontual do Código Penal, submetida no ano passado, “está adiada”.

Igualmente, a Renamo justifica a sua posição com a alegação de que está também “adiada” a sua proposta de lei de amnistia, instrumento que, segundo o deputado Hilário Uaite, visa descongestionar as cadeias nacionais.

Falando na declaração do voto da sua bancada, a deputada da Frelimo, Isidora Faztudo, disse que o trabalho realizado tem mérito e é oportuno, permitindo assim a continuação dos trabalhos rumo a revisão do Código Penal.

Segundo referiu, ao aprovar esta informação, a sua bancada parlamentar pretende que o processo siga em frente e que se realizem as audições públicas que irão permitir acolher diversas sensibilidades ao longo do país.

Por seu turno, o deputado Eduardo Elias, da bancada do MDM, disse que a sua bancada aprovou a favor porque a informação mostra os passos em curso visando a produção de um Código Penal actualizado, consentâneo e moderno para a sociedade.

Ainda na sessão da Quinta-feira, a AR apreciou a informação sobre as actividades do Gabinete Parlamentar para a Prevenção e Combate ao HIV e SIDA.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!