Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Recolha obrigatória ainda longe da realidade

Há cerca de duas semanas, a Polícia da República de Moçambique (PRM), nesta parcela do país, decretou o recolher obrigatório de pessoas e o encerramento de barracas e casas de pasto, a partir das 23horas ou mesmo meia-noite.

A informação foi digerida de forma diferente, aliás a sociedade vive assim. Uns diziam que a medida é bem vinda, porque iria amainar os níveis de crime que assustam a cidade, enquanto que outros, viam a medida como uma forma de prejudicar o negócio, visto que neste fim de ano, as pessoas (algumas), gostam de passar a noite nas barracas ou casas de pasto. Já lá vão duas semanas, ao que assistimos nas ruas de Quelimane, no último fim de semana, era tudo contrário daquilo que a PRM disse. Vimos gente a circular com bebida nas mãos, barracas abertas ate altas horas da noite.

Só para situarmos o caro leitor, ao longo da avenida Eduardo Mondlane, encontramos mais de três barracas abertas, com som de música alta e gente a gritar de todas maneiras. E não só, na zona de Coalane, quando por lá passamos na noite da sextafeira, encontramos também barracas abertas com gente exaltando-se de todas maneiras. Porém, contactada a PRM, na pessoa do respectivo porta-voz, Ernesto Serrote, este disse que a operação já começou, mas de uma forma discreta.

Porque segundo explicou Serrrote, há muitas brigadas da polícia fazendo este trabalho, só que encontram dificuldades. Uma destas dificuldades que a PRM encontra nesta sua operação que tem em vista fazer uma terapia a crime é o licenciamento que o Conselho Municipal de Quelimane (CMQ), concedeu a alguns restaurantes de bares. E um destes restaurantes é o “Escrever Qualquer”, situado na zona do Brandão, arredores de Quelimane.

Aquela casa de pastos, está aberto 24horas por dia sem excepção de nenhum dia de semana. Esta situação deixa a policia com nervos a flor da pele, porque conforme explicou Serrote, olhando a localização do restaurante, pode-se ver claramente que pode ser um foco onde os marginais e amigos do alheio planificação as suas acções criminosas. “Estamos a espera da resposta do expediente que remetemos a edilidade sobre o bar Escrever Qualquer, dai vamos agir sem problemas”-disse a fonte para depois acrescentar que “concretamente vamos fazer valer as nossas acções a partir da próxima semana, portanto, quando faltarem 10 dias para a quadra festiva”- sublinhou o nosso interlocutor.

E não só o “Escrever Qualquer”, também há casas de pastos como Savana, o local onde se preparam espetos, fazem parte das dores de cabeça da polícia. Mas neste ultimo local, a situação não é muito gritante, porque ao que sabemos, os consumidores tem abandonado o local, por volta da meia-noite, ou menos que isso.

Todavia, a polícia diz que não vai mesmo tolerar aos violadores desta medida. No meio disto tudo, resta apenas aguardar para vermos de facto até que níveis esta operação terá resultados.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!