Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Quelimane sob alerta máximo

A cólera não tem poupado a vida de muitos concidadãos nossos quando ela aparece. Nos últimos dias fala-se da ocorrência de casos desta doença na região norte do país, concretamente em Nampula e Cabo Delgado respectivamente.

Olhando a situação geográfica da província da Zambézia há sempre receio de que há qualquer hora a cólera pode ser um hóspede não necessário, quando olhamos para a forma como tem deixado as vítimas.

E a cidade de Quelimane tem sido aquela em que a cólera não deixa de semear luto nas famílias. Quase todos os anos a cólera atinge Quelimane. Isso agrava-se por causa das más condições de saneamento de meio que a cidade apresenta.

Uma cidade onde a recolha dos resíduos sólidos está aquém do desejado, e quando é assim há sempre resultados negativos. E como a cólera gosta muito dos locais onde as condições de higiene não são boas, logo aproveita-se e faz valer a sua hegemonia.

Autoridades sanitárias dizem-se preparadas

Com as chuvas que se fazem sentir nos últimos dias na província da Zambézia em geral e na cidade de Quelimane em particular, o cenário pode ser mais grave. Porque há venda de produtos em todas as esquinas possíveis sem o mínimo de higiene.

E não só, em alguns casos, o comércio de produtos de consumo imediato é feito próximo a um local de depósito de resíduos sólidos ou por vezes em águas estagnadas.

Há sempre gente a comprar e comer, principalmente os fazedores de táxi de bicicleta que não perdem o tempo de parar por volta das 9horas para comprarem uma mandioca cozida com um copo de sumo e dai o pequeno-almoço se foi.

E as 12horas, pode-se ver em muitas esquinas concentração de pessoas em locais onde se vende algo para comer. Isto mais outras coisas podem ser um veículo de transmissão da chamada doença de mãos sujas.

Entretanto, as autoridades sanitárias na cidade de Quelimane, dizem estarem preparadas para responder pelos primeiros cem casos da cólera que forem a surgir.

Conforme explicou Bové Rafael, director dos Serviços Distritais de Saúde, Mulher e Acção Social, o sector que dirige está preparado, dai que o Centro de Tratamento de Cólera (CTC), está aberto vinte quatro horas por dia, convista a receber qualquer e eventual caso da doença.

Num outro desenvolvimento Rafael disse que para além disso, equipas do sector estão a distribuir produtos como cloro, certeza para as comunidades.

E não só, a fonte fez saber também que há equipas que não cansam de difundir mensagens sobre higiene pessoal e colectiva nas comunidades.

Refira-se que este ano, ainda não se registou nenhum caso relacionado com esta doença na cidade de Quelimane e na província em geral.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!