Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Queimadas provocam prejuízos na ordem de 14.6 milhões de meticais

O subsector de cajú ao nível da província de Nampula terá perdido, nas últimas duas campanhas, mais de catorze milhões, seiscentos e cinquenta mil meticais, devido à acção desastrosa das queimadas descontroladas.

O facto foi anunciado, terça-feira, por Emílio Mudunga Furede, delegado provincial do Instituto de Fomento de Caju (INCAJU), que se mostrou preocupado com a referida prática, apesar de se registar uma ligeira redução nos últimos tempos.

Para inverter o cenário, o INCAJU está a trabalhar com os governos distritais e autoridades locais na sensibilização das comunidades, cujos resultados começam já a ser notórios.

‘O maneio integrado do caju prevê o tratamento químico e o processo de limpeza dos cajueiros, de modo a garantir o combate às queimadas descontrolodas’, explicou Furede.

De acorco com o delegado do INCAJU, no quadro do Programa de Produção e Distribuição de Mudas, o sector está a promover o plantio de novos cajueiros, uma acção que culmina com o processo de tratamento dos já existentes.

À luz deste esforço, as autoridades governamentais agendaram para, sexta-feira, o arranque da campanha nacional de pulverização de cajueiros contra pragas e doenças, cujo acto contará com a presença de destacados representantes do Ministério da Agricultura e da Direcção do INCAJU.

A acção visa, conforme explicou Emílio Furede, a melhoria dos níveis actuais de produção e de produtividade do cajú, bem como a garantia da qualidade da castanha a ser produzida futuramente.

Segundo o nosso entrevistado, um cajueiro tratado produz em média, por ano, dez a doze quilogramas de castanha, contra apenas três quilogramas de um outro não tratado.

Aquele responsável diz estar satifeito com os resultados promissores alcançados nos últimos anos na província de Nampula, a maior produtora de castannha ao nível do país.

Dados oficiais referem que na campanha 2010/2011 foram produzidas e comercializadas mais de 55 mil toneladas de castanha de caju, contra 49 mil da campanha anterior.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!