Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Quando a imagem vale mais do que mil palavras

Quando a imagem vale mais do que mil palavras

Não são apenas meras imagens captadas por uma câmara fotográfi ca, pelo contrário, as fotografi as destacadas no 53º relatório anual Word Press Photo Contest falam por si, aliás, elas dispensam qualquer legenda. A imaginação e a realidade cruzam-se explorando o capricho do acaso mas sem que elas deixem de ser verdadeiras obras de arte que retratam diferentes perspectivas de vida.

As fotografias destacam-se não só pela perspectiva e a intensidade das cores, mas pela sua peculiaridade e pelas mensagens que transmitem, mostrando uma realidade que se encontra para lá do visível. Nas imagens a realidade ganham uma nova dimensão e chegam a confundir-se com a fi cção mas refl ectem a estética, ou pode-se dizer, clareza e uma relação com o mundo. As imagens parecem surreais, ou mesmo virtuais onde o mundo e o tempo deixam de existir.

Ou seja, à primeira vista pode-se cair no erro de se afi rmar que se está diante de mais um deslumbrante trabalho de montagem e começa-se a confundir a forma com o conteúdo que elas projecta. Mas um olhar minimamente atento percebe-se que se trata de uma realidade retratada pela fotografi a, de um olhar, de um ponto de vista, diga-se, neutro.

Em cada uma das fotos está presente a subjectividade do fotógrafo, mas sem nunca deixar de ser uma obra de arte. Há uma simplicidade e tensão que dão a medida de um verdadeiro fotojornalista. Reinam linhas de refl exões, pensamento ou uma base ideológica. E a tristeza, a dor, o grito e a alegria parecem conjugar-se numa estrutura de contradições e também é possível perceber o equilíbrio desses elementos mantido em cada imagem.

O que mais sobressai aos olhos não é só a temática e as vibrantes cores que impregnam as imagens, dando-as uma musicalidade única que faz com que uma imagem valha por si. Porém, a capacidade que as fotografias têm em provocar diversos pensamentos e atravessar o vazio. O ponto de vista, a que se chega pelos fotógrafos através da colocação das suas respectivas objectivas, parece subverter a realidade ou criar histórias a partir dela definindo-a com uma dose de moralismo que chega ser mórbido, mas desembaraçada de qualquer preconceito.

Elas retratam o quotidiano, o universo, o espaço e exploram ambiguidades narrativas, levantando múltiplas possibilidades, imaginações e vontades. Quer dizer, trazem no bojo uma reflexão sobre o mundo e o momento, o Homem e as suas relações de vida, nomeadamente vontade de ser, conflitos, trabalho, emoções, o tempo e quiçá o desejo da eternidade. Diga-se, as fotografias procuram, numa linguagem estética e ao mesmo tempo contrastante, comunicar com as pessoas que as visualizam sobre uma realidade incomensurável. Não obedecem critérios que não os de criar questionamentos, sentimentos, devaneios e elucidar (aos que ainda têm dúvidas) de que a fotografia é uma arte, um meio estruturado de conceito.

O júri da edição de 2010 de Word Press Photo destacou vinte e uma fotografias (em igual número de categorias) de profissionais de diversas partes do mundo. Todas as fotos têm algo em comum: o Real que todos podem identificar, além de demonstrarem o virtuosismo dos seus autores.

A fotografia vencedora da categoria “Word Press Photo of the Year 2009” foi do italiano Pietro Masturzo. A foto retrata mulheres gritando em protesto num terraço em Teerão. E a mesma é parte de uma história que descreve as noites após a eleições presidenciais no Irã impugnada, quando as pessoas gritaram a sua discordância nos telhados e nas varandas, depois de protestos durante o dia nas ruas.

Na categoria de “First prize General News Stories” destaque vai para fotografia de Marco Vernaschi. A história é sobre os pequenos traficantes de droga em Guiné-Bissau. Mas o aspecto que dá à foto uma característica única é o ambiente negro como um filme onde ninguém parece escapar da morte, todavia, no final, o cativo foi abandonado, mas não morto.

Na categoria “2nd prize People in the News Singles”, a foto do americano David Guttenfelder da Associated Press destaca-se pelo insólito. Os soldados americanos em posição de combate no Afeganistão, mas o que chama atenção é o facto de, na fotografia, um dos soldados não tive tempo suficiente para usar o uniforme militar. Ele aparece de chinelos e vestido uma camisa vermelha e uma boxas escrita “I love NY”.

O “1st prize Spot News Singles” foi para o australiano Adam Ferguson. Na imagem, um cenário que lembra filmes de ficção, uma mulher é resgatada por dois homens depois da explosão de um carro bomba próximo de um hotel no Afeganistão.

Já o “1st prize Spot News Stories” coube o argentino Walter Astrada da âgencia France-Presse. Na foto vê-se dois homens sentados por detrás de um contector de lixo enquanto ao fundo a polícia anti-motim impedi os protesto em Madagascar.

Na categoria “1st General News Singles” destacou-se a foto de Kent Klich. A luz do sol entrando por orifício que se fez no telhado de uma casa na faixa de Gaza dá a foto qualidades imensuráveis.

Na “2nd prize People News Stories”, foi distinguido a foto de Charles Ommanney do Getty Images for Newsweek na qual aparece o estadista norte-americano Barack Obama momentos antes de subir ao pódio para fazer juramento como 44º presidente dos Estados Unidos.

Na categoria “2nd prize Daily Life Singles”, a fotografia vencedora é a de Joan Bardeletti da Picturetank na qual se retrata uma família moçambicana desfrutando de um piquenique numa praia na cidade de Maputo. Essas são algumas das vinte e uma fotografias distinguidas em igual número de categorias. As fotografias são sobre o quotidiano, histórias, retratos, questões contemporâneas, artes, entretenimento, natureza, desporto, desporto em acção, notícias e pessoas nas notícias.

Importa referir que Word Press Photo visa a apoiar a fotografia de imprensa profissional em uma larga escala internacional. As actividades de promoção incluem um concurso anual, exposições, a estimulação do fotojornalismo através de programas educacionais e criar maior visibilidade para a fotografia de imprensa através de uma variedade de publicações.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!