Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Putin propôs dividir Ucrânia com Polónia, segundo o ex-ministro polonês

O presidente russo, Vladimir Putin, propôs ao então líder da Polónia que dividissem a Ucrânia entre eles ainda em 2008, afirmou o presidente do Parlamento polonês, Radoslaw Sikorski, numa entrevista publicada no site norte-americano Politico.

De acordo com Sikorski, que até Setembro serviu como ministro das Relações Exteriores da Polónia, Putin fez a proposta durante a visita do primeiro-ministro polonês, Donald Tusk, a Moscovo em 2008.

“Ele queria que participássemos dessa partição da Ucrânia… essa foi uma das primeiras coisas que Putin disse ao meu primeiro-ministro, Donald Tusk, quando ele visitou Moscovo.” “Ele (Putin), em seguida, disse que a Ucrânia é um país artificial e que Lwow é uma cidade polonesa, e perguntou por que simplesmente não a repartimos”, teria declarado Sikorski na entrevista de 19 de Outubro.

Antes da Segunda Guerra Mundial, o território polonês incluía partes do atual oeste ucraniano, inclusive algumas grandes cidades como Lwow, conhecida como Lviv na Ucrânia.

Segundo Sikorski, que acompanhou o primeiro-ministro na sua estadia na capital russa, Tusk não respondeu à sugestão de Putin por saber que estava a ser gravado, mas a Polónia jamais expressou qualquer interesse em se unir à operação russa.

“Nós deixamos isso muito, muito claro para eles, não queríamos nos envolver com isso”, disse Sikorski na entrevista.  Depois da publicação da entrevista, Sikorski disse que não estava inteiramente correcta.

“Algumas das palavras foram mal interpretadas”, escreveu Sikorski na sua conta no Twitter na noite desta segunda-feira, acrescentando que a Polónia não participa de anexações. Nem o Ministério das Relações Exteriores da Polónia, nem os oficiais russos estavam imediatamente disponíveis para comentar o assunto.

“Se tal proposta foi feita por Putin, então isso é escandaloso”, disse Ewa Kopacz, que substituiu Tusk como primeiro-ministro, na noite desta segunda-feira numa entrevista à emissora pública TVP. Tusk deixou o cargo para assumir uma posição em Bruxelas, na Bélgica.

“Nenhum primeiro-ministro polonês vai participar de uma actividade tão vergonhosa como particionar outro país”, disse ela, acrescentando que não tinha ouvido falar sobre essa proposta antes.

O relato de Sikorski não é a primeira sugestão de que a Rússia estava em busca de apoio da Polónia para dividir a Ucrânia.  Depois da anexação da península ucraniana da Crimeia pela Rússia, o presidente do Parlamento russo, Vladimir Zhirinovsky, enviou uma carta aos governos de Polónia, Roménia e Hungria propondo uma divisão conjunta do país.

Facebook
Twitter
LinkedIn
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!