Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Professores percorrem longas distâncias para darem aulas

A direcção distrital de Educaçao de Cuamba, na província do Niassa, diz estar muito preocupada com o facto de actualmente alguns professores insistirem em viver naquela cidade enquanto dão aulas nas escolas que se situam a cerca de vinte quilómetros, contribuindo, de certo modo, para a fraca qualidade do processo de ensino e aprendizagem dos alunos, uma vez que nem sempre chegam atempadamente aos postos de trabalho.

Fonte daquela direcção disse, recentemente, à nossa Reportagem que essa situação é de longa data, muito embora algum trabalho tenha já sido feito, visando a combaté-la para o bem não só do processo de ensino e aprendizagem dos alunos, como também dos próprios professores em termos de manutenção da sua saúde.

Aliás, e de acordo com a nossa fonte, este problema tem sido muito debatido nas reuniões da direcção daquele sector, e, em face da sua persistência, pensa-se na adopção de algumas medidas correctivas. Portanto, aqui no distrito de Cuamba o sector de educação tem vindo a cumprir com as suas actividades planificadas.

Mas, neste momento, estamos muito preocupados com os professores que teimam em viver nesta cidade enquanto dão aulas nas escolas que se localizam longe daqui, por recusarem fixar as suas residências lá. Não há dúvidas que eles prejudicam o próprio processo de ensino-aprendizagem nessas escolas, anotou a fonte.

A nossa Reportagem apurou que alguns desses professores fazem-se transportar em bicicletas e motorizadas e não têm chegado a tempo e horas nas escolas onde dão aulas devido às longas distâncias que percorrem a partir da cidade de Cuamba.

E muitas vezes as aulas são dadas à pressa porque o professor divide o tempo de aulas e do percurso entre a escola e à cidade de Cuamba.

Não sei explicar as causas desta questão no distrito de Cuamba, mas penso que isto pode estar relacionado com o facto do hábito das pessoas viverem aqui na cidade. Mas, pelo menos nos dias lectivos deviam dormir nas zonas onde se situam as escolas, frisou.

O distrito de Cuamba conta, actualmente, com 140 escolas, sendo 118 do ensino primário, das quais 18 completas e 4 secundárias, além de um instituto de formação de professores.

Na cidade de Cuamba funcionam duas instituições de ensino superior, nomeadamente Faculdade de Agricultura da Universidade Católica de Moçambique e Instituto Superior de Gestão.

Conforme deu a conhecer a fonte da direcção distrital de educaçao em Cuamba, até à abertura do presente ano lectivo, tinham sido matriculados 3.211 alunos na primeira classe, 2.309 na sexta, 3.096 na oitava e 1.411 na décima.

Entretanto, a nossa Reportagem soube que tendo em conta que aquele distrito é um dos mais afectados pela pandemia do HIV|SIDA na província do Niassa, o sector de educação tem vindo a promover acções de sensibilização no seio dos professores sobre a necessidade de se prevenirem desta doença

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!