Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Produção de cimento em alta

A produção nacional de cimento está a registar, este ano, um crescimento assinalável, segundo as autoridades governamentais moçambicanas.

No primeiro trimestre, as fábricas nacionais produziram aproximadamente 277 mil toneladas de cimento, superando as cerca de 79 mil toneladas importadas no mesmo período do ano passado.

De acordo com o director nacional da Indústria, Sidónio dos Santos, citado pela Rádio Moçambique, o crescimento da quantidade de cimento deve-se à entrada em funcionamento de novas linhas de enchimento.

De salientar que recentemente, o país passou a contar com uma fábrica denominada Cimento Nacional com capacidade de produzir 250 mil toneladas de cimento por ano.

A Cimentos de Moçambique, na Matola, montou um novo moinho com capacidade para 400 mil toneladas de produção anual, o que contribuiu para que fosse produzida maior quantidade de cimento nacional.

Em consequência desta realidade e associado às importações que têm sido feitas, aumentou a oferta de cimento no país, apesar de as necessidades superarem a oferta.

Em 2010, a capacidade global de produção estava estimada em 1,3 milhão de toneladas de cimento por ano. Em 2011, a capacidade aumentou para cerca de dois milhões de toneladas anuais.

Como consequência deste crescimento da produção interna, o volume de cimento importado tende a baixar, segundo Sidónio dos Santos.

“É o que aconteceu em Janeiro deste ano quando as fábricas nacionais produziram cerca de 79 mil toneladas contra as 16 mil toneladas do cimento importado. No mês seguinte, o país produziu perto de 90 mil toneladas superando as 26 mil toneladas importadas. Já em Março último os privados importaram 37 mil toneladas de cimento, quantidade que de longe não se aproxima às toneladas saídas das unidades nacionais”, detalhou.

“Acreditamos que o plano quinquenal do Governo, quanto à produção de cimento, será cumprido, pois os investidores estão a cumprir com os seus projectos de melhoramento e construção de fábricas”, sublinhou dos Santos.

Ainda no presente ano, o Governo espera inaugurar três novas fábricas, nomeadamente, a GS Cimentos, na cidade da Matola, com uma capacidade instalada de 500 mil toneladas por ano, a ADIL Cimentos, localizada em Mahubo, distrito de Boane, província de Maputo, com uma capacidade instalada de 120 mil toneladas de cimento e, por fim, a Maputo Ciment and Steel, preparada para produzir anualmente 130 mil toneladas de cimento.

Próximo ano poderá entrar em funcionamento a CIF/MOZ, em Matutuíne, província de Maputo. A par das fábricas acima mencionadas, existem outras unidades cujo estágio de desenvolvimento está bastante avançado.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Related Posts

error: Content is protected !!