Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Produção agricola regista queda

O distrito de Meconta registou nos últimos anos uma queda na produção agrícola em consequência da redução do número de produtores e da exploração de algumas culturas.

Segundo o documento apresentado, ontem, na sessão do governo provincial, a que o Wamphula Fax teve acesso, o facto deve-se à redução do número extensionistas afectos ao distrito pela direcção provincial de Agricultura.

De acordo, ainda, com a fonte, as culturas de algodão, milho e feijões foram as mais atingidas pela referida quebra de produção. Por exemplo, a cultura de milho que, em na safra de 2006 registou 5.780 toneladas, não foi aquém das 3.490 toneladas em 2007, enquanto que os feijões situaram-se em 1153 toneladas no ano passado, portanto abaixo da produção de 2006, que se cifrou em 1250 toneladas. Todavia, apesar dos constrangimentos, não há registo de bolsas de fome no seio da população de Meconta.

Dados em poder do nosso jornal referem que as culturas de rendimento, sobretudo de algodão, têm vindo a ser abandonados pelos agricultores, em detrimento do gergelim, devido aos baixos preços praticados pelas concessionárias, para além dos descontos considerados exorbitantes efectuados pelas empresas fomentadoras, relativamente aos insumos agrícolas. Referiu, a título de exemplo, que a previsão da produção de algodão para a presente campanha agrícola, aponta para 2.850 toneladas, contra quatro mil de gergelim.

O mencionado documento refere, ainda, que, com vista a inverter o cenário, o governo do distrito introduziu a estratégia de beneficiar os produtores organizados em associações e grupos, facto que tem vindo a facilitar o serviço de assistência técnica dos escassos extensionistas existentes naquele ponto da província.

As mencionadas acções estão centradas na assistência técnica e monitoria das associações que beneficiaram dos financiamentos através do Orçamento de Investimento de Iniciativas Locais (OIIL), vulgo sete bis. Outra situação que está a entusiasmar as autoridades politicas e administrativas do distrito de Meconta, prendese com o facto de, ultimamente, estar a registar-se o incremento da produção da cultura da castanha de caju, uma das culturas de rendimento considerada mais propícia naquele ponto da província.

Dados estatísticos, apresentados na sessão, dão conta que, comparativamente às 2.291 toneladas produzidas no ano passado, a cifra baixou drasticamente para 771 toneladas no ano em curso.

Soubemos, igualmente, que, em face da situação, os 8.143.200 Mt alocados ao distrito, no âmbito do OIL, 6.875.560 Mt serão direccionados para o financiamento de diversos projectos em prol do desenvolvimento do distrito. Financiamos já 164 projectos para a agricultura, maioritariamente do posto administrativo de Namialo, o mais produtivo do distrito, e 106 para a comercialização de excedentes. E estamos esperançados que tal facto ira estimular os associados no aumento de áreas de outras culturas nos próximos tempos. Sublinhou a fonte.

A insuficiência da rede de comercialização, aliada à acentuada degradação das vias acesso que ligam os povoados às zonas consideradas potencialmente agrícolas, são apontados como sendo os principais factores da quebrados índices da produção agrícola no distrito, onde a situação mais critica regista-se no posto administativo de Corrane.

Refira-se que o distrito de Meconta tem um total de 157.814 habitantes, maioritariamente camponeses.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Related Posts

error: Content is protected !!